quinta-feira, 29 de março de 2007

Apagado

Morei em Maringá, cidade do interior do Paraná, com trezentos mil habitantes, até o fim do ano passado, quando retornei à minha cidade natal, o Rio de Janeiro. Tive a oportunidade de estudar em uma universidade particular ( CESUMAR ), pois o reitor me conheceu, e como contribuição para o meu trabalho, ofereceu-me uma bolsa integral para que fizesse minha faculdade de jornalismo. Não foi muito fácil estudar com pessoas tão novas, e em grande parte, distante da realidade que eu já havia vivido nas favelas do Rio. Parecia que viviam em parte, em um outro mundo. Alguns colegas me eram mais próximos, pois sentia que eram sensíveis, e não há mesmo como ser jornalista, sem ter um minímo de sensibilidade com o mundo em sua volta, por isso que, sendo eu um missionário, quis ser jornalista também. Ficavamos mais perto, trocavamos textos, e pensava comigo: Esse pessoal vai longe! Um deles que tinha essa sensibilidade era o Wilame Prado, um jovem de 21 anos, que não tinha facilidade para pagar a faculdade. Trabalhava pesado, e que eu sabia que seria, como é desde já, um grande jornalista, pois tem sensibilidade para tal, e ama a escrita... Quem gosta de ler, vai gostar dos textos dele, que de vez em quando estarão aqui no nosso blog! Segue então uma cronica com o titulo:
APAGADO
Uns pingos gelados começavam a cair do céu. No intervalo das aulas,na faculdade, costumava ficar naquele local e não seria por causa de uma simples garoa que sairia de lá, mesmo com o cigarro aceso na mão. Enquanto todos procuravam se esconder do que não poderia nem se quer ser chamado de chuva, ele procurava uma cadeira para encostar suas nádegas, cruzar as pernas e tragar alucinadamente.Achou uma cadeira daquelas brancas, de plástico, que são encontradas embares e sorveterias. Acomodou-se e sentiu gota a gota molhar a sua camiseta,levemente. Não havia mais ninguém ao lado e a garoa continuava amena e discreta, assim como a aragem refrescante.Nunca foi de querer chamar a atenção de ninguém, mas o fato insólito de nem ligar para a garoa acabou despertando a curiosidade dos transeuntes que, oupensava que o rapaz se molhando era louco ou pensavam que era um imbecilmetido a engraçadinho. Não se preocupando, as tragadas consumidas iamesgotando o seu pedaço de tabaco, enquanto isso, a mente viajava para algumas léguas de toda àquela gente, chuva, longe da cadeira de plástico.Os que faziam o mesmo curso que ele, talvez com dó, resolveram chamá-lo para perguntar o que estava ocorrendo. A única resposta recebida foi um olhar sossegado, um sorriso amarelo, e logo em seguida, a mesma velha cara melancólica de sempre. Como ocorrera em outras vezes, ninguém o entendeu, já que até ele mesmo não conseguia entendê-lo de vez em quando.O fato é que a chuva passou e nem sequer conseguiu apagar a sua bituca no chão. Já era hora de voltar à sala. Ainda que tendo consciência que obteria mais lucro ficando sentado consigo mesmo ao invés de voltar para a jaula do conhecimento falso, subiu para não perder mais uma presença na lista.Foi acompanhado de uma aprazível colega de curso, a do cabelo vermelho, que gosta de Mutantes. Ela, instigada com a sua abstinência social em meio aos fervilhões acadêmicos, pergunta:
- Parece que você está meio abatido, triste, solitário?
E ele, como sempre, com o seu excesso de menosprezo por si, diz:
- Que nada, isso é normal. Muitas vezes fico um tanto quanto distante dosdemais...
- Você estudava à noite, ano passado?
- Sim
.- Nossa! A primeira vez que eu vi você foi este ano, em uma palestra.
- É que sou meio apagado mesmo.
Wilame Prado

5 comentários:

Wilame disse...

Ei parceiro, estou sem palavras...

simplesmente, obrigado!

Estamos todos esperando a sua visita aqui na Cidade Canção.

Um grande abraço!

debora disse...

Apagado....

Gostei muito....Me identifiquei um pouco!

Como já dizia Nietsche.."Cada um é por si o mais distante"

Bjus vou passar sempre aqui...é bem a minha cara =)

Giana disse...

cuidado amigo ... vc vai ganhar mais que alguns salários minímos desse jeito ....hehehehe
saudades de vcs!!!
manda um bjo p/ turma

giana disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
jacqueline disse...

hahaha..eee André..viajei heim..
não podia ser diferente né.
bjão

Compartilhe!