quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

FELIZ NATAL COM A INCONFORMIDADE DO MESTRE!

O Natal é uma época do ano que sempre fico refletindo sobre o significado dessa data e o que o aniversáriante diria se pudesse estar entre nós, falando para toda a humanidade. Acredito que Ele diria que nós não entendemos nada...

Como podemos comemorar o Natal tranquilos, sem peso em nossos corações, quando milhões de pessoas estão famintas e não tem sequer o que comer? As vezes isso acontece até mesmo do nosso lado, sem que percebamos a necessidade daquele que está tão próximo!

O Mestre Jesus não vai fazer um discurso nesse Natal, não! Porém cada um de nós pode deixar o Mestre nascer, pensando em quem está próximo, ou o que cada um de nós pode fazer para que tenhamos um mundo melhor.

Não adianta desejarmos um FELIZ NATAL ou um FELIZ 2009, se em nós mesmos não quisermos a mudança para que a humanidade possa ser melhor! Que possamos deixar Jesus nascer em nossas vidas vivendo o que Ele viveu, sentindo o que Ele sentiu e nos incomodando como ele se incomodou...

Por isso desejo do fundo do meu coração, à todos que amo e quero bem, a inconformidade com esse mundo, que pode produzir transformação em nossas vidas bem como para toda a humanidade!

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

FOTO DA SEMANA

Foto: Adriano Almeida

Manifestantes que participaram do ato contra o extermínio na Maré tomam parte da Avenida Brasil

domingo, 21 de dezembro de 2008

Deu na GRANDE mídia...

CONTRA-ATAQUE

Vereadores anti-Paes – dos partidos sem cargos – lançaram Jorge Pereira para a presidência da Câmara. Se for pra valer, ele vai disputar com Jorge Felippe, da chapa apoiada pelo prefeito eleito.
Fonte: INFORME O DIA - Página 04 - 19/12/2008

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

NOTÍCIAS DE SANTA CATARINA POR WELLINGTON DE OLIVEIRA

O texto abaixo me foi enviado por Wellington Oliveira, presidente nacional da JOCUM - Jovens Com Uma Missão, que se encontra em Santa Catarina com dezenas de voluntários da missão. São notícias diretamente de quem está envolvido com a ajuda aos desabrigados, dispensando solidariedade e atenção aos necessitados.
Oi Brother.

Graça e Paz!

Estou a quatro dias correndo as áreas afetadas pelas enchentes em Santa Catarina. Resolvi dar umas férias solidárias para meus filhos e minha esposa. Pegamos uma barraca e alguns trecos mais e entramos na lida. Acampando aqui e acolá, conversando com pessoas que sofreram os riscos de perto, que perderam familiares e etc. As histórias que ouvimos são ''incríveis''.

Estivemos em Blumenau com Valderrama e sua família, passamos por Gaspar, Ihota e fomos até o morro do baú, o local de maior destruição. O que vimos por lá é estarrecedor. Foi muita destruição horrível! Nos faz entender o que quer dizer: Abalar os fundamentos dos montes. Por todos os lados se vê desgraça. Pessoas tentam recompor seus sentidos e suas vidas. Alguns, enquanto removem o aterro de cima de suas casas, olham de maneira distante para o horizonte movendo aquelas pás e enxadas como se eles próprios não estivessem ali.

Nos abrigos, a desesperança é a mesma. Todos se perguntam...Porque? E agora? O que será da minha vida?

A base de JOCUM de Uberaba - Curitiba, respondeu aos anseios de parte de Blumenau com bastante empenho e oportunismo. Conversei com um presidente da associação de moradores em um dos abrigos que elogiou muito o trabalho da JOCUM na pessoa dos jovens que lá estiveram. Outras bases também responderam com doações, ofertas e equipes. Obrigado a todos que se dispuseram a ser resposta nesta catástrofe.

Em todo tempo se ama o amigo, e na angústia se faz o irmão.

A reconstrução em algumas áreas em Blumenau e região levará bastante tempo. Equipes ainda poderão achar muito o que fazer por lá, mesmo no ano que vem. Aqueles de vocês que dispuserem de tempo e de equipes serão muito bem-vindos! Já no morro do baú a situação é mais complicada. O acesso é restrito e ainda tem muitas áreas interditadas devido ao grande risco de deslizamento de terra. Em Itajaí e Navegantes os moradores, a despeito das perdas que tiveram, já estão voltando à normalidade.


A defesa civil já está dispensando ajuda de muitos voluntários naquelas cidades.

Quem estiver nas imediações de Blumenau, Gaspar e Ilhota durante o natal poderão ser de grande conforto e consolo nos abrigos da região e para as famílias de áreas afetadas. Tem bastante crianças, adultos e alguns militares por lá.

Um grande abraço a todos vocês!
Wellington de Oliveira

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

VOCÊ SAIU NA FOTO?

Se você foi fotografado por mim, gostaria de esclarecer que as duas últimas câmeras que estavam comigo não eram minhas. A primeira que me refiro, era emprestada e foi furtada quando eu acabara de fotografar Carlinhos de Jesus abraçado com o Pedro Ernesto, presidente do Cordão do Bola Preta. Assim sendo, perdi todas as fotos que estavam lá! Algumas eu já tinha passado para o computador e já estão no orkut do DIÁRIO ANDRÉ FERNANDES. Outras não tenho, infelizmente, para que as pessoas que estão me pedindo possam ter também.

A outra câmera que usei recentemente em Maringá, me foi emprestada pelo Bruno Ladeia, mantenedor do DIÁRIO, que ficou de me enviar as fotos. Estou esperando ele ter um tempo para fazer isso, já que a internet onde ele se encontra agora é discada, e seria muito difícil mandar rápido. Ficou a promessa que chegaria logo. Portanto, quem saiu na foto em Maringá, pode esperar que vai poder ver em breve, também no album do DIÁRIO. As fotos são liberadas para cópias, portanto agradeço se colocarem o crédito para quem tirou.
Também esclareço que a FOTO DA SEMANA do blog não foi modificada porque no momento estou sem uma câmera. Por isso se algum fotógrafo quiser enviar durante os próximos tempos alguma foto para que seja publicada, os créditos serão dados.
PS. O DIÁRIO ANDRÉ FERNANDES aceita doação de uma câmera!

sábado, 13 de dezembro de 2008

Para onde vai o PT do B?

Hoje estive com Vinicius Cordeiro, tomando um café no Lamas, no Flamengo. Ele me contou das perspectivas para o próximo ano, falou das tristezas e alegrias, bem como me informou sobre algumas conversas que anda tendo nos bastidores. O PT do B, apesar de ter sido fundamental para a eleição de Eduardo Paes, como fui testemunha, ainda não foi convidado para participar do governo municipal. Talvez essa semana ainda saia algum pronunciamento sobre essa situação. Na última publicação do BLOG DO VINICIUS CORDEIRO consta uma matéria que elucida as articulação que ele anda fazendo. Vale a pena conferir!

PT do B sem Cabral e sem Garotinho.[Folha da Manhã 0nline - 09/12/08]



"Não ficaremos com Cabral, nem com Garotinho". Esta foi a promessa do presidente estadual do PTdoB, Vinícius Cordeiro, sobre o destino do seu partido para a disputa do governo do Estado do Rio, em 2010. Ele esteve em visita ontem a Campos, para receber a cidadania campista, entre os 79 títulos e comendas entregues pela Câmara Municipal. Antes da cerimônia no Legislativo presidido por Marcos Bacellar, seu colega de partido, Vinícius teve uma reunião com o PTdoB local. Dela participaram também os vereadores Marcos Alexandre (que não se reelegeu) e o reeleito Jorginho Pé no Chão. A todos foi repassada a orientação de não alinhamento nem com o grupo político do atual governador Sérgio Cabral, quanto do ex, Antohny Garotinho, ambos hoje no PMDB. No mesmo encontro, Bacellar foi formalmente convidado para lançar sua pré-candidatura a uma cadeira na Assembléia Legislativo do Estado, em 2010. - Nossa idéia, no lugar de pulverizar candidaturas, que gerou um resultado desastroso na região, para todos os partidos, em 2002, é lançar uma única candidatura forte, no Norte Fluminense, a deputado estadual. E até pela grande votação que teve, a maior de Campos (9.549 votos), Bacellar é nosso candidato natural - explicou Vinícius Cordeiro. Embora o PTdoB esteja alinhado com o governo federal, o bom relacionamento entre o presidente Lula e o governador Sérgio Cabral, não garantiu a este o apoio da legenda. Os motivos, segundo Cordeiro, seriam as discordâncias quanto às políticas fluminenses nas áreas de Segurança Pública e Tributação. Após já ter mantido contatos com o prefeito eleito de Niterói, Jorge Roberto Silveira (PDT); o prefeito reeleito de Nova Iguaçu, Lindenberg Farias (PT); bem como com a deputada federal Denise Frossard (PPS), o presidente do PTdoB busca um caminho alternativo entre os pólos de Cabral e Garotinho que hoje disputam o PMDB, com vistas ao Palácio Guanabara, em 2010. "Acho viável este caminho, desde que trabalhemos desde agora para buscá-lo", ressalvou...
FONTE: BLOG DO VINICIUS CORDEIRO

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

QUAL A MELHOR EMPRESA DE ÔNIBUS PARA VIAJAR NO PARANÁ?

Ao colocar aqui uma enquete sobre QUAL A MELHOR EMPRESA DE ÔNIBUS PARA VIAJAR NO PARANÁ, meu objetivo foi saber a opinião dos leitores, mas também fazer uma avaliação pessoal desse quadro. Pois bem! Viajei há vinte dias atrás para Cascavel, por uma empresa que por descuido, não citei na enquete, a KAIOWA. Foram mil e trezentos quilômetros de percurso. Depois fui para Maringá. Insistindo em observar a atuação da empresa que eu, de fato, menos gosto. Comprei então uma passagem para chegar em Maringá pela EXPRESSO MARIGÁ. Para voltar para o Rio, comprei uma passagem pela VIAÇÃO GARCIA, até para diversificar, pois já tinha ido através de uma outra empresa para o Paraná.
Vamos aos fatos:
-KAIOWA:
-Agua gelada
-Bancos bem confortáveis que reclinam ao máximo
-Televisor(que não foi exibido nenhum filme)
-Ar condicionado que funciona muito bem
-Carros novos, recém-colocados para rodar
-Banheiro
-Pontualidade
-EXPRESSO MARINGÁ:
-Agua gelada
-Bancos não tão confortáveis
-Ar que não funciona tão bem
-Carros mais velhos
-Banheiro
-Não tem pontualidade(Você já ouviu falar de pinga-pinga? Se não, basta andar de EXPRESSO MARINGÁ, mas vá sem hora pra chegar...)
-VIAÇÃO GARCIA
-Agua gelada
-Bancos confortáveis(Não tanto quanto a KAIOWA)
-Ar condicionado que não funciona muito bem(A não ser que o motorista estivesse de má vontade...)
-Carros novos(O que eu viajei não era tão novo assim, tem que perguntar antes de comprar a passagem!)
-Banheiro
-Não tem pontualidade(Imagina que o horário previsto era oito e quarenta e cinco e cheguei ás onze horas da manhã!)
-Não pode beber uma cervejinha!(Comprei uma latinha de SKOL antes de embarcar e o fiscal da plataforma me informou que não poderia ingressar no ônibus com a bebida. Ao perguntar onde estava escrito isso, ele não sabia me informar e disse que era norma da empresa. Peguei o regulamento da ANTT - Agência Nacional de Transporte Terrestre e mostrei pra ele, dizendo que não havia nenhuma menção, pedindo que ele me mostrasse o regulamento da empresa então. Ele disse que não tinha! Ou seja, se o passageiro é informado que não pode fazer algo, não tem a regulamentação para mostrar...achei um absurdo!)

Portanto, após os fatos relatados, façam suas escolhas...

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

E-MAIL DO EXÍLIO NO DIA INTERNACIONAL DE DIREITOS HUMANOS

André,
Como não sou contraditório, ditador e um crápula da censura, andei reavaliando minha opinião e acabei de - felizmente algumas vezes concordo com os outros - concordar que fui muito forte com minhas palavras e um pouco ingênuo ao publicar meu pedido em seu Orkut. E para não gerar mais polêmicas, pode deixar -em nome de todos que um dia sucumbiram lutando pelos direitos humanos- as Cartas do Exílio I & II no ar. Você é e sempre será meu mano. Desculpe-me pelo transtorno. Só preferiria que você respeitasse minha posição de viver na América por mais de uma década. Não sou um empresário bem sucedido e sim - com toda vaidade - um ser humano bem-sucedido.
Te amo,
Caio Ferraz

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

NOVIDADES EM MARINGÁ

CÂMARA DE VEREADORES PODE TER NOVO PRESIDENTE

Ontem tive um encontro, ainda em Maringá, com o vereador eleito Flávio Vicente(PSDB), 37 anos, pai de três filhos. Conheci Flávio há alguns anos atrás, quando ainda morava na Cidade Canção. Depois de ter se candidatado a vereador e deputado federal, agora ele se elegeu como o terceiro mais votado. Nosso encontro se deu na MARCO'S, uma confeitaria, perto do Paço Municipal.
Tive uma certa dificuldade para conseguir uma agenda com Vicente. O motivo é louvável: "Estou visitando todos os dias, todos os amigos, empresários, colaboradores, enfim, todos os eleitores que votaram em mim!"
Flávio não chegou onde está com pouco esforço. Ele é professor universitário, Mestre em Administração de empresas, Administrador e Consultor de empresas e foi também Secretário da Industria, Comércio e Turismo de Maringá em 2005 e 2006.

Conversamos durante mais ou menos uma hora, basicamente sobre política e as perspectivas daquele que pode vir a ser o novo presidente da Câmara de Vereadores. Articulações estão sendo feitas para que o legislativo municipal passe por uma mudança, baseado na renovação que aconteceu da instituição no último pleito. Flávio ressalta que quase metade dos vereadores eleitos nunca exerceram um mandato, o que deve pesar para a eleição da nova mesa diretora. "Os meus eleitores esperam que eu tenha uma postura pela mudança", afirmou.
Outro assunto em pauta foi a Lei Seca. O futuro vereador esclarece que os motivos são plausíveis e que iniciativas como essa já acontecem em várias cidades brasileiras. Como professor universitário que é, disse que algumas vezes já deu aula para aluno que tinha se excedido na bebida e disse mais:"essa medida não acaba com isso, porém dificulta fatos como esse".
Outro assunto que achei pertinente perguntá-lo foi acerca das eleições para diretores de colégios, que acontece em Maringá, como em Cascavel. Ele afirmou ser a favor das eleições como um exercício da democracia, com a ressalva que os pais participem do processo eleitoral nas instituições de ensino.
Ao término de nossa conversa falei sobre o DIÁRIO ANDRÉ FERNANDES e sobre o trabalho que venho realizando com o blog e também de assessoria de imprensa. Ele me perguntou quando eu voltaria aqui e eu lhe respondi que dependeria das missões que tenho tido, baseado também no trabalho com o DIÁRIO ANDRÉ FERNANDES. Vamos aguardar novidades sobre Maringá...


segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

CARTA DO EXÍLIO - PARTE II

CONTINUAÇÃO DE ONTEM...
Bem André, sei também que algumas vezes contrariei o meu querido Pastor Caio Fábio devido aos entraves que tinha com o "dono de todas as razões", Sr. Rubém Cesar Fernandes. Como você acompanhou de perto alguns entreveros que tivemos e as manipulações que ele era capaz de fazer para aparecer, considero indispensável explicar-lhe algumas coisas. Deus sabe muito bem quem é quem nessa história toda. Só gostaria que você conversasse com o Caio Fábio e explicasse para ele que tenho minhas razões e que num momento oportuno escreverei para ele uma carta narrando os porquês. E também que ele pedisse ao Sr. Rubem Cesar que se ele não quiser ter mais problemas comigo, que o mesmo definitivamente esqueça a Casa da Paz, porque como fundador e idealizador daquela instituição e atual presidente eleito pela própria equipe da Casa da Paz, não admitirei qualquer intenção de intervenção desse antropólogo-antropófago na instituição que presido. Para mim, ele não passa de um mau-carater que boicotou nosso trabalho como podia, além de tirar muito proveito para seu elitista "Viva Rico". Desculpe-me a franqueza das palavras, mas é triste saber que ainda existem pessoas, que como amigos, são piores do que o mais crápula dos inimigos. Se o Pastor Caio Fábio não se sentir a vontade de fazê-lo, eu pessoalmente irei escrever uma carta para a "Comissão de Cidadãos" do Viva Rio e narrarei todas as minhas justificativas.
Amigo, apesar de ter sido obrigado a ficar no mais absoluto silêncio nesses oito primeiros meses de exílio, devido as prioridades impostas pela nova circunstância de nossas vidas(arrumar casa, mobiliá-la, adaptar-se ao clima e comida, começar a aprender a língua, arrumar emprego, ver creche para Maíra, fazer palestras e chorar também), tenho boas novas. A primeira é que estamos bem de saúde e felizes porque aos poucos as coisas estão tomando o seu rumo. A segunda é que estou aprendendo inglês em tempo record - pois consegui uma bolsa de estudos no início de junho e estou fazendo um curso de inglês intensivo, aos poucos estou dominando a língua - leio razoavelmente, falo alguma coisa e também estou começando a escrever com mais destreza. A terceira é que depois de ter ficado oito meses como Visiting Scholar no Center For Internatinal Studies do Massachusetts Institute fo Technology, agora fui aceito para fazer um programa de nove meses no Departamento de Planejamento Urbano da própria universidade, o qual iniciarei agora em setembro e que será válido como crédito para mestrado e, melhor ainda, com direito a uma bolsa de estudos da Inter-Americam Foundation. A quarta é que estamos sendo calorosamente acolhidos pelos membros da prestigiosa e respeitada Anistia Internacional, em especial pelo Grupo 133 de Somerville, da cidade onde moramos. Eles tem sido fundamentais em todos os aspectos, desde prover recursos para pagamento de orientação quanto a trabalhos, tradução das minhas palestras, até as também indispensáveis coisas da vida: diversão, arte, cinema, música, festa, praia, caminhada e cervejinhas. Tudo para que nosso primeiro ano de exílio seja o menos traumático possível. A Maíra, é claro, se transformou na xodó e mascote do Grupo. A quinta coisa interessante é que a Claudia está suportando bem este primeiro ano e até está surpreendentemente dando-me muitos conselhos para que eu seja mais responsável e mais família. Ela está sendo uma mulher e tanto, estou reaprendendo a amá-la e a dar-lhe o valor que ela realmente sempre mereceu. Eu nem sei se a mereço e nem imagino o que seria de mim sem seu amor e compreensão. Ela tem sido para mim muito mais do que esposa, tem sido uma verdadeira companheira, amiga, psicóloga, amante, namorada e mãe. Agora posso afirmar que só o amor é capaz de fazer com que um mulher se prive de todas as coisas que tinha para acompanhar seu companheiro por causa de seus sonhos e irresponsabilidades. Ah, ela estava trabalhando aqui numa High School e tinha parado devido a problemas de documentação, mas deve retornar agora em setembro. E a última novidade é que sua afilhada Maíra está cada vez mais encantadora e linda e está começando a falar inglês. Ela só me chama de dad Caio e a Claudia de mom. Além de pronúnciar perfeitamente Thank You, de contar até dez em inglês, de cantar glamourosamente Happy Birthday, além de falar uma dezena de palavras que este incompetente pai agora não lembra. Meu maior medo agora é que a danadinha falará mais e mlhor o inglês do que os burros velhos do Caio e Claudia.
Bem amigo, depois de ter falado um pouco de como estamos aqui, gostaria de saber como anda as coisas com você? Com sua nova casa? Você está namorando? E sua elétrica e eletrizante mãe? E com a Fábrica de Esperança? E novos projetos da Fábrica? E o "Exército da Esperança", está funcionando? E a Cristina Cristiano, continua a frente da coordenação da Fábrica? E o ex-assaltante de bancos e agora irmão, Gordo, está trabalhando em algum projeto da VINDE? E a campanha Rio Desarme-se, ocorrerá este ano? E suas opiniões sobre a Casa da Paz, nesses oito meses de minha ausência? E o sucesso que está fazendo a Cristina Leonardo no Brasil? E o Viva Rico? E com a politicagem do Rio? E com as favelas? E o ditador do General Cegueira, continua dando prêmios e condecorações por cada favelado morto a seus corruptiveis policiais? E o Hélio Lamparina, Secretário de Polícia Civil, continua com a cara de hippie woodstockiano? E o truculento e conivente Cel. Marcos Paes? E o Bisbo Macedo ("Se Deus é o caminho, Bispo Macedo é o pedágio")? E os ETs de Varginha? Ligue-me, mande-me um fax, um e-mail, escreva-me mandando notícias suas ou mesmo mande um simples cartão-postal dessa cidade mais linda do mundo. Enfim, mande-me uma todo de você e sua mãe para que vocês façam parte do nosso álbum de seletos amigos. Claudia e Maíra estão mandando milhares de beijos e abraços para você, sua simpática mãe e todos os amigos da Fábrica de Esperança e da VINDE. Se eu pudesse parafrasear as escrituras sagradas, diria: "E vinde a mim os amigos de boa fé; e vinde a mim a alegria, venha de onde Deus quiser".
De seu sempre amigo de lutas e suas admiradoras,


Caio Ferraz


Claudia Caldas --------------- Maíra C. Ferraz

domingo, 7 de dezembro de 2008

CARTA DO EXÍLIO - PARTE I

Massachusetts, 11 de Agosto de 1996.
Querido André Fernandes.
Aprendi o silêncio com os faladores
a tolerância com os intolerantes,
a bondade com os maldosos.
E, por estranho que pareça,
sou grato a esses professores."
Kahlil Gibran (1883 - 1931), poeta inglês
.
Sou eu, vivo, falador, critico, irreverente, e ainda metido a intelectual como sempre.
Espero que esta cidade e este país estejam tomando o rumo da democracia, do diálogo e da tolêrancia. E sobre esta cidade, sobre a qual a poetisa americana Elizabeth Bishop, na década de 60, magistralmente, fez a seguinte observação: "O Rio de Janeiro não é uma cidade maravilhosa, mas um cenário maravilhoso para uma cidade", como ela está? E o "Viva Rico"? E o General Cegueira? E o louco do Cesar Maia? E o cachaceiro do Marcelo Alencar? E o tupiniquin-presidente FHC? E o Comunidade Solitária? E as chacinas, continuam ? E Acari, Vigário Geral, Dona Marta, Borél e os demais guetos dessa terra brasilis, como vão? Ah, quantas perguntas, quantas interrogações, quanta vontade de estar aí...

Renovo-me a cada vez que lembro de você, com sua também ironica e intransigente forma de ver e de se relacionar com estes falsos democratas dessa cidade. Talvez você tenha tido mais sorte do que eu, porque você sempre se pautou por uma orientação fundamentada na ética espiritual, por um Deus que a tudo criou e que a Ele este universo pertence. Eu, ao contrário, sempre pautei-me pelas minhas torpes "certezas" da ética científica das ciências sociais e da militância das causas dos direitos humanos. Se errei em alguns momentos, foi porque não conseguia enxergar além dessa minha visão canhestra prático-teórica. Algumas vezes, fui feliz e até ousei desmistificar a "ética monetária" de alguns senhores amigos dos poderosos dessa terra explorada outrora por portugueses e agora por insensatos burgueses. Noutras fui um incauto e cai em minhas próprias armadilhas, mas frente a realidade que vivia no dia-a-dia da favela de Vigário Geral e nas demais que eu frequentava, não podia ter sido diferente. Eu precisava sim, ser intransigente, denunciador, "inadministravel" como bem observou meu homônimo Caio Fábio. Tinha a necessidade de ser mais rápido do que a tirana bala do fuzil AR15; e mesmo assim quantas barbaridades tive que presenciar. E valha-me Deus que você foi uma testemunha ocular dessa minha peregrinação, por ter sido um também peregrinador junto comigo contra essa pena de morte que só atinge pretos, pobres e favelados. Lembra-te, que juntos estávamos lutando contra a farsa da Operação Rio e também na defesa da tentativa política de implodirem este trabalho magnifico que é nossa Fábrica de Esperança?
Amigo e irmão André, sei que muitas vezes fui pré-julgado e preconceituosamente espezinhado por ter vindo de uma família humilde que vivia em favela. Muitos dos que fingiam estar ao meu lado, nos bastidores de seus pecados mentais, diziam que eu era um despreparado e um porra-louca. Se assim eles consideravam, lamento tê-los frustrado, pois este pobre cara de codinome Caio foi digno de milhares de aplausos e de alguns prêmios. Digo isso não como vaidade pessoal, mas como forma de lembrar que a incompetência é senhora e dona da insensatez e só é possível porque existe nesta cidade uma mesquinha cultura da indiferença, a qual reina neste mundo pervertido dos intelectuais encastelados ora nos governos, ora em ONGs. Se fui intransigente e arrogante é porque vivi - assim como os que não compactuam com a sacanagem - intensa e dolorosamente as seguintes cruas verdades: Quantos amigos de infância ainda fui obrigado a acompanhar o sepultamento após a chacina de Vigário Geral. Quantos armamentos pesados vi chegar em favelas. Quantas toneladas de drogas vi milhares de jovens comprarem para consumo somente nestes três últimos anos nas favelas. Quantos bilhões de doláres os governos roubaram da saúde e educação de milhões de inocentes crianças. Quantos velhinhos morreram a espera do misero salário mínimo do INSS. Talvez seja impossível, mas com certeza o somatório de tamanha injustiça para mim era e continua sendo inadmissível... Minhas denúncias quanto as continuadas chacinas, tortura e corrupção nas favelas respingaram na mais podre realidade existente em nossa cidade. As vezes fico imaginando: será que valeu a pena ter sacrificado minha própria vida e de minha família por uma cidade controlada por vermes e fascinoras homens? De que me valeram prêmios e reconhecimentos públicos se estou agora a mercê de uma terra que não me pertence, de uma cultura que não é a minha, de um povo que não fala minha lingua, de um clima frio e rigoroso? Se as coisas que gosto e se meus amigos estão todos distantes? Será mesmo que valeu a pena? Se não tive sequer o direito de me despedir do meu pai em seu sepultamento no dia 10 de julho? Se hoje não tenho nenhum bem material que possa dar o mínimo de tranquilidade e conforto as minhas duas lindas companheiras de exílio? Se minha esposa não pode sequer falar com seus pais e familiares por telefone devido ao alto custo da ligação internacional? Se não posso sair com minha filha para tomar um simples sorvete? Este papo de que o Caio foi um herói, para mim é, desculpe a expressão, uma puta sacanagem.
As vezes, o que me consola, é o fato de ter feito alguns amigos de verdade, entre eles, meu amigo-pai-e-irmão Pastor Caio Fábio; com quem tentei por várias vezes falar por telefone, sem ter sucesso, depois que cheguei aqui nos EUA. Outras duas pessoas que se mostraram acima de qualquer interesse foram você e sua alegre e espirituosa mãe, Graça Fernandes. E é exatamente por isso que estou escrevendo-lhe esta carta. Para agradecer a vocês, do fundo do meu coração, por tudo que vocês fizeram por mim e por minhas duas coisas preciosas: Claudia e Maíra. Muito obrigado mesmo. Milhões de vezes obrigado. Minha vontade era poder estar aí só para dar-lhes um grande abraço, um carinhoso beijo e depois irmos juntos comer uma gostosa comida brasileira. Mas a distância é longa e a realidade torna esta vontade em algo impossível.

CONTINUA AMANHÃ...

sábado, 6 de dezembro de 2008

ENQUETE - VOCÊ ACREDITA QUE O DESEMPREGO AUMENTA O CRIME?

Há alguns anos atrás a revista ÉPOCA trazia em uma reportagem de capa uma matéria relacionando o aumento da criminalidade ao desemprego. É uma polêmica que quero trazer para a discussão e pedir a opinião dos leitores desse blog. Por isso estou publicando hoje uma ENQUETE com o seguinte titulo: VOCÊ ACREDITA QUE O DESEMPREGO AUMENTA O CRIME? Peço que respondam e comentem, se quiserem, suas respostas.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

AGENDA

EXIBIÇÃO DO DOCUMENTÁRIO HIATO PELA PRIMEIRA VEZ EM MARINGÁ!

Data: 04 de dezembro de 2008

Hora: 18:30hs

Local: UEM – Universidade Estadual de Maringá - Auditório do CCH – Centro de Ciências Sociais – Bloco H35

HIATO:

Documentário de aproximadamente 20 minutos, apresentando uma cobertura sobre o passeio ao Shopping Rio Sul, ocorrido em 3 de agosto de 2000, com ampla cobertura pela mídia nacional e internacional. O documentário se utiliza de imagens produzidas pela mídia local e nacional, na época, mesclado com depoimentos de personalidades e participantes do ato, pertencentes às comunidades.


Diretor – Vladimir Seixas (cineasta, filósofo e mestrando em Estética e filosofia da Arte).

Assistente de direção - Helen Ferreira (pedagoga e mestranda em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas pela UERJ/FEBF).

O documentário já foi exibido em diversos lugares do país, tendo concorrido no Festival de Gramado. Nos próximos dias HIATO: estará concorrendo também no Festival de Havana.

CONHEÇA O BLOG DO HIATO:

http://hiato-passeionoshopping.blogspot.com

PARTICIPE COMUNIDADE DO HIATO: NO ORKUT:

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=45369456

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

MUITAS COISAS ACONTECEM NA CIDADE CANÇÃO...




MANIFESTAÇÃO DE ESTUDANTES EM MARINGÁ

Não deu na GRANDE mídia...


LEI SECA EM MARINGÁ
Alunos da UEM - Universidade Estadual de Maringá começam a se movimentar para transferirem seus títulos de eleitor para a Cidade Universitária. O motivo? Os alunos reclamam de constantes maus tratos pela polícia e descaso das autoridades locais. O vereadores instituíram a Lei Seca na região em volta da instituição, durante o período do vestibular. Ontem aconteceu um ato dos alunos na Universidade. Segundo a coordenação do ato, só com poder de voto poderão transformar essa situação. Questiona-se também a possibilidade da lei ter relação com a especulação imobiliária na região. A Lei terá fim hoje à meia-noite!

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

O AMOR É ASSIM...

Fiquei com minha filha todos os dias durante o período que estive visitando ela, menos a última noite.
Quando chegou a tarde anterior ao dia que iria embora, sem saber quando voltaria novamente, minha filhinha disse:"Papai, eu quero dormir com minha mamãe!"
Confesso que fiquei triste e ainda tentei argumentar: Puxa filha, papai veio de tão longe para ficar tão pouco tempo...
Ela falou: "Mas eu com saudade da minha mãe!"
Procurei não demonstrar a tristeza que invadiu o meu ser e disse: Meu amor, faz o que você quiser, você é livre para fazer o que seu coração mandar... E procurei não demonstrar tristeza.
Ela foi dormir com a mãe.
O amor é assim...

Logo depois que escrevi esse texto, voltei para a casa onde estava hospedado. Ao chegar lá, encontrei minha filha na porta me esperando. Ela correu em minha direção, me deu um abraço e disse:"Eu voltei para dormir com você!"
No amor há liberdade para escolher...

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

DESVIO DE MEDICAMENTOS EM CASCAVEL

Mil trezentos e trinta e três quilometros me separam de minha filha mais nova, que mora em Cascavel, no Paraná. A cidade elegeu Edgar Bueno (PDT) para prefeito pela segunda vez. A população não gostou da atuação do atual alcaide, trazendo de volta o prefeito da gestão anterior ao atual. Notícias de desvio de materiais da saúde já estavam sendo investigadas pela Câmara de Vereadores. Durante minha estadia tomei conhecimento de uma nova denúncia feita à Secretaria de Saúde do Município, que ainda não foi divulgada pela mídia local. Uma funcionária do PSF(Programa de Saúde da Família), programa financiado com verbas do PAC, estaria desviando medicamentos. A funcionária teria desviado três mil comprimidos de remédios e , segundo uma funcionária que não quis se identificar, as próprias colegas de trabalho estariam acobertando a tal funcionária.

A cidade, apesar do aumento da violência, é agradável para se viver. Pude observar algumas coisas importantes que poderiam acontecer no Rio de Janeiro, como é o caso do transporte público. Se você pega por exemplo um ônibus em uma extremidade da cidade, você pode fazer até três integrações com uma passagem, cruzando assim todo o município.

Ontem levei minha filha em um parque , por sinal, muito bem conservado. Pude perceber que a população procura exercer sua cidadania cuidando bem dos locais de interesse público.

Hoje fui levar a pequenina para estudar. Ela está estudando em um colégio público, que nem de longe se compara aos do Rio de Janeiro, tanto na infra-estrutura, quanto no ensino. Outra coisa que me chamou atenção foi ver a institiução se mobilizando para eleger a nova direção, que ao contrário da Cidade Maravilhosa, promove entre pais e funcionários eleições todos os anos.
Levarei boas lembranças de Cascavel...

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

NOVA OCUPAÇÃO NO RIO DE JANEIRO

Madrugada da última sexta para sábado recebo um telefonema de um documentarista que se encontrava dentro de uma ocupação que havia acabado de acontecer na Gamboa, centro do Rio de Janeiro. Era um pedido de auxílio para mobilizar a imprensa, já que do lado de fora do prédio recém-ocupado estavam paradas cinco viaturas do quinto batalhão da Polícia Militar. Peguei um táxi e me dirigi para o local. Ao chegar liguei de imediato para Che Oliveira, chefe de reportagem da TV RECORD. A hora já era avançada e fui logo me desculpando com o colega pela hora avançada. Eram duas e trinta da manhã e provavelmente ele já se encontrava dormindo. Expliquei a situação e dei o endereço para que a equipe da emissora se deslocasse até o local.



Do lado de dentro do prédio, fechado por cadeados, cerca de cem famílias com mulheres, crianças e idosos se mobilizavam para tornar o local habitável, enquanto uma comissão também tentava ligar para as redações para que a sociedade fosse logo informada de suas intenções pacíficas de ocupar um imóvel que não cumpria sua função social.



A primeira equipe a chegar no local foi do jornal O DIA. O jornalista Arthur Rosa e o fotógrafo desembarcaram e começaram seu trabalho. Logo depois chegou a equipe da TV RECORD e logo depois do jornal O GLOBO. A essa altura já eram três da manhã e confesso ter ficado muito feliz ao ver que a imprensa estava ali cumprindo seu papel.



Gostaria de ter escrito aqui no blog há mais tempo, porém no mesmo sábado tinha uma viagem marcada para ver minha filha que já não via desde Março. Ao chegar aqui em Cascavél, dediquei-me a dar atenção a pequena Kauanne e, ontem à noite saí para procurar uma lan house para publicar algo sobre a ocupação, que recebeu o nome de Machado de Assis. Hoje ao abrir meus e-mails percebi que vários companheiros haviam enviado as matérias que os colegas jornalistas fizeram naquela madrugada, que passo a publicar também aqui para maior elucidação dos amigos leitores.



______________________________________________



Famílias de Sem-Teto invadem imóvel na Gamboa



Arthur Rosa



Rio - Um grupo de 100 famílias petencente ao Movimento dos Sem-Teto invadiram no início da madrugada deste sábado o prédio industrial da Rua da Gamboa, 111, na Gamboa, Zona Portuária do Rio. O local, onde funcionava uma fábrica, estava desativado e os integrantes se basearam no Decreto Municipal 26.224, de 16/02/06, que declara o edifício como utilidade pública para fins de desapropriação.



Policiais militares do 5º BPM (Praça da Harmonia), em cinco viaturas, chegaram a se dirigir ao local para evitar distúrbios, mas a ocupação foi pacífica. Os ocupantes trancaram os portões com cadeados e declararam que não sairão de lá.



Os populares, de várias partes do estado do Rio, chegaram ao endereço por volta de meia-noite. A ocupação, batizada de Machado de Assis, teve apoio de estudantes e integrantes dos movimentos punk e dos Sem- Terra. De acordo com um dos líderes do movimento, o historiador José Maria, o objetivo é tornar o local um centro de referência cultural e acessível a moradias populares.



"Desde 2006, quando o decreto foi assinado pelo prefeito Cesar Maia, este imóvel está destinado a desapropriação. Como nada foi feito durante esse período, resolvemos tomar essa atitude", declara José. Esta é a quinta ocupação que o movimento realiza na cidade.



No momento da invasão havia um segurança da fábrica, que após conversar com os manifestantes, liberou a entrada. No prédio vazio, de 4 andares, havia apenas um ponto de luz e de água e os novos moradores tiveram que improvisar instalações para se alojarem. Entre eles, há muitas crianças e idosos, como a cozinheira Maria José Camargo, de 60 anos.



"Não tenho família e já faz tempo que estou desempregada. Não precisamos de muito, apenas um teto para morarmos", diz Maria, com lágrimas nos olhos. De acordo com José, cerca de 30 pessoas, a maioria estutandes, dão apoio às famílias. "O espaço é enorme e é possível torná-lo um prédio residencial. Não descartamos a hipótese de receber mais pessoas, visto que estamos amparados na lei", disse.



Por questão de segurança, após a entrada, os ocupantes trancaram o portão. Com a ajuda de integrantes do movimento, conseguiram alguns mantimentos para passar a noite e o dia de hoje. "Nossos advogados já estão cuidando da legalização da situação. A ocupação é, nada mais, que uma garantia de nossos direitos e que este edifício será das famílias. Temos estatutos, que prevêem a convivência harmônica e solidária entre todos. Não sairemos daqui", destacou José Maria.



Fonte: Jornal O DIA


_______________________________________



Sem-teto ocupam prédio na Zona Portuária



Ruben Berta



RIO- Cerca de cem famílias ocuparam no início da madrugada deste sábado um prédio de quatro andares no número 111 da Rua da Gamboa, na Zona Portuária. O grupo, que se apresentou por Ocupação Machado de Assis, contou com o apoio de mais de 30 pessoas ligadas a movimentos sociais, como estudantes universitários.



A entrada no imóvel ocorreu pouco depois de meia-noite. Segundo um jovem que se identificou como José Maria, um dos coordenadores do movimento, havia um segurança no local, que acabou deixando o prédio. Policiais do 5o BPM (Praça da Harmonia) foram acionados, mas não houve confronto. Os sem-teto passaram a madrugada limpando as dependências para poderem se instalar.



Além de cartazes, o grupo exibiu na entrada do imóvel uma cópia de uma página de um Diário Oficial de 17 de fevereiro de 2006, com um ato do prefeito Cesar Maia, que desapropria o imóvel para fins de habitação popular.



- Estamos ocupando o prédio para concluir o que o prefeito teve mais de dois anos para fazer e não fez - alegou José Maria.



Segundo o coordenador, estão no local famílias carentes de diversos pontos do Rio e até de fora do estado. A ocupação vem sendo planejada há 11 meses e o grupo realizou eventos para arrecadar alimentos para as pessoas que estão no imóvel, que pertenceria a uma indústria antes de ter sido desapropriado.


Fonte: Jornal EXTRA

sábado, 22 de novembro de 2008

NO OLHO DO FURACÃO

O que houve? O que aconteceu? Perguntava Roseli, minha esposa, ao me olhar com o celular ainda no ouvido e pálido. O Marcio morreu! O Marcio morreu! Não parava de repetir em voz baixa sem saber o que pensar ou falar. Ao telefone, acabara de falar com Élcio Braga, do jornal O DIA, que sempre me ligava com informações de primeira mão. Como foi? O que houve? Continuava perguntando Roseli, sem que pudesse conseguir parar de repetir a frase: O Marcio morreu! De repente os telefones, tanto de casa como o celular, começaram a tocar. Jornais e TVs de todo o país ligando por saberem de minha relação com o Marcio e com o Santa Marta, apesar de meu distanciamento já há mais de um ano.

Não sabia o que dizer! Não tinha o que dizer e nem tampouco poderia me manifestar, afinal, Marcio tinha sido morto dentro de Bangu III, presídio onde o visitei por inúmeras vezes. A situação era bem delicada. Cada minuto parecia não ter fim, e os telefones não paravam de tocar. Resolvi desligá-los e só deixar o número de celular de minha esposa ligado, e passá-lo só para o pessoal da imprensa em quem mais confiava. Falei com Carla Rocha, e logo após com Jan Theophilo, ambos de O GLOBO. Jan passou no apartamento onde morava, perto do Morro da Mangueira, para falar comigo pessoalmente. Marina Amaral da revista CAROS AMIGOS, me ligou e disse: "Alguém tem que defender o Caco!" Não acreditava que o Marcio tivesse morrido por conta do livro como estavam tentando dizer, porém, por não saber o que estava acontecendo, disse: não posso dar declarações no momento Marina, e sei que o Caco vai entender, pois estou aqui no olho do furacão.

Confesso que aquela noite parecia interminável! Havíamos acabado de receber meses antes um dos maiores presentes de nossas vidas, nossa filha Kauanne, que nascera no mês de maio. Todas as favelas, e até mesmo o pessoal do sistema penitenciário sabiam onde morávamos! Não sabíamos o que tinha acontecido de fato com o Marcio, e quais os motivos que levaram a executá-lo em Bangu, por isso temíamos por nossa vida naquele momento. Confiava acima de tudo em Deus, como sempre fiz, principalmente nos momentos de perigo, não poucos, que vivi durante mais de uma década nas favelas do Rio.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

terça-feira, 18 de novembro de 2008

BARCELONA É FEMININA

*Eliane Martins
Fui ver o último filme do Woody Allen e saí do cinema resmungando sozinha. Com tanta coisa interessante acontecendo no mundo, o cineasta velho e caduco continua falando de amor, sexo e orgia. Exibe cinicamente seus pretensiosos clichês antigos, acompanhado de imagens cada vez mais irresistíveis. Desvelando a gasta e rota tragédia da vida com sabor de coisa já vista.

O mal estar começou na entrada do cinema e a constatação do fiel público das tardes de sábado, que envelhecia. Ao meu lado, na última fila, um senhor de meia idade lia concentrado o livro que acabara de comprar, enquanto vez por outra alguém entrava na sala e manifestava uma suspeita euforia, provavelmente ao reencontrar um amigo aposentado que há anos não via. Esposas com sacos de pipoca ou uma amiga de companhia, entravam antes das luzes se apagarem e diminuir o burburinho.

O leitor distraído agora dava atenção à mulher e comentava do livro que tanto queria. As luzes se apagaram e o movimento na tela começa a reivindicar um tipo de concentração intelectual de respiração contida. Nada que aquele público desconhecesse ou já não tivesse imaginado cabível naquele retângulo imprevisto. A familiaridade dos movimentos se reafirma na narrativa, lugar de onde o autor se confunde com a obra, agora de forma invisível. A reação escandalosa do público quase sempre me irrita, não há motivos pra tanto riso.

Duas amigas americanas viajam de férias a Barcelona e tudo acontece em função desta viajem, como a sinopse avisa. Dentro do carro, enquanto viajam distraídas, o diretor vai delineando seus perfis caricatos na terceira pessoa, nos confidenciando as eternas inquietações de um homem excêntrico e exibido. Realçando sua presença incomoda e insistente, num sussurro de voz estridente que avisa todo o tempo quem dirige a película. Seu modo particular de narrar os personagens é como um velho conhecido. Como é conhecida a criteriosa escolha de belas mulheres, unida à uma eterna disposição em discorrer sobre o insolúvel conflito de relações, como drama central da vida. Não importando o lado da narrativa, apenas confirmando a inutilidade de qualquer tentativa.

A arte, com suas cores e energia, corrompe o olhar em direção à cidade escolhida, com destaque para a vida cultural emergente e suas recentes produções artísticas. É verão e Barcelona explode com sua arquitetura exuberante e seus costumes vivos, sendo vista primeiro de cima, da mansão do velho e pálido casal americano que hospeda as duas amigas. Em meio ao jardim florido o previsível casal mantém os traços da terra estrangeira à mesa, servida com todo o requinte. Enquanto comem, bebem e se confidenciam, discutem e interrogam sem nenhum pudor acerca do que é útil e indispensável à vida. E sobre os modos práticos de colocar estas verdades em dia.

Mais tarde, no grande salão de festas de uma exposição, o terceiro personagem da cena desfila pelas quinas, tendo como traço a camisa vermelha e o olhar sedutor, em eterna posição de conquista. As extravagâncias amorosas do galã - um convite inesperado para uma viagem decisiva - constroem um roteiro pouco convincente de triangulação, recheado de velhas e esvaziadas trapaças, grotescamente reproduzidas. Bem ao estilo do diretor, as cenas de sexo são propositalmente mal focadas e quase sempre partidas ao meio, ou interrompidas.

A sensualidade irresistível da mulher espanhola – antes uma citação, mais tarde uma aparição fantasmática de passionalidade incontida - ocupa metade das cenas seguintes, entre o inglês e a resistência da língua nativa. A mulher que retorna sempre em nome da paixão sem medida, interrompe brutalmente nas cenas decisivas, mudando pateticamente o sentido. Sem ser nunca compreendida, não importando nem mesmo a língua. Os excessos do autor desnudam o universo de contradições culturais embutidas por trás de costumes e estereótipos exagerados, com o quais ele se diverte sempre, na pele dos personagens. Especialmente os femininos.

O homem que estava do meu lado levantou-se empolgado enquanto a tela exibia os créditos finais. Woody Allen continua o mesmo, dizia ele em tom de euforia. Levei alguns dias para refletir sobre o que fui fazer ao cinema, além do hábito de pertencer a uma geração que aplaude o desencanto e ainda reconhece nele alguma poesia. Devem ser as ruas desconhecidas de Barcelona, misturada a uma boa dose de melancolia. Ou a mulher que ri sozinha dentro de mim, enquanto acende um cigarro e caminha pensativa. Pobre alma feminina, talvez Barcelona seja uma menina.
*Psicanalista

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Deu na GRANDE mídia...

PARTIDO APERTA EDUARDO PAES
O PT do B ameaça pular para a oposição a Eduardo Paes. O partido, que elegeu três vereadores, espera conversar sobre participação no governo com o prefeito eleito: não gostou da proposta de ficar apenas com regiões administrativas e subprefeituras.
Fonte: Jornal O DIA - Informe - Pg. 04 - 17/11/2008

domingo, 16 de novembro de 2008

PERFIL DO DIÁRIO ANDRÉ FERNANDES NO ORKUT

Com o perfil no orkut posso manter contato com os leitores, bem como colocar centenas de fotos para todos verem.
Maneira facíl de se comunicar com visibilidade para todos. Acrescentem o perfil do blog em seu orkut e veja fotos do meu trabalho, das eleições, das noites, festas no Rio e muito mais! Quem sabe você também não está lá na foto?

Para acrescentar o perfil, copie e cole o link abaixo:

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

FAVELANIA

MANIFESTO DO MOVIMENTO FAVELANIA
“A maior ambição revolucionária é ver o homem liberto de sua alienação” (Che Guevara)

A herança do Brasil Colonial se torna evidente diante de um aparelho estatal que em todo o processo histórico da nação, se apresenta à serviço da elite dominante que pretende perpetuar-se no poder. Face à violência e o desrespeito aos direitos dos cidadãos nas favelas em cotidianas situações, que muito mais do que simples casos de abusos significam ausência e omissão do Estado no suprimento das necessidades civis básicas da população de baixa renda, e o cultivo de uma cultura de exclusão e discriminação herdadas da não tão longínqua época das casa grandes e senzalas. O Movimento Favelania manifesta que:
O morador da favela como cidadão brasileiro, possui direito de acesso aos bens de cidadania tais quais segurança, educação, saúde e habitação digna;
Não concorda com o uso de estereótipos e rotulações na administração e exercício do poder público, e reivindica neutralidade, respeito e educação nas abordagens dentro das favelas;
Pretende dar voz às comunidades carentes se colocando como canal de ajuda e veículo de expressão da violência sofrida na mídia; Estaremos procurando difundir de todas as maneiras possíveis a conscientização à população favelada quanto a seus direitos básicos enquanto cidadão, bem como enfatizando uma ideologia de combate a todo e qualquer tipo de abuso aos Direitos Humanos.
A razão de existência deste Movimento deve-se ao resgate dos princípios de liberdade e anseios por igualdade e solidariedade entre os seres humanos, que move as revoluções populares e se demagogiza em tratados e códigos que não encontram práxis social.


Rio de Janeiro, 10 de dezembro de 1998


Escrito por André Fernandes e Marcio Anhelli

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

SOBRE O ORKUT

*Rafael Huguenin

O site de relacionamentos Orkut ilustra de maneira paradigmática uma característica fundamental de nossa sociedade nos dias atuais, a saber, que o ser das pessoas constitui-se pelo seu aparecer social. Isto é, a essências das pessoas, aquilo que as constitui e as distingue como tais, é completamente reduzida a simples manifestações exteriores de suas personalidades. Manifestações, diga-se de passagem, cuidadosamente escolhidas, de modo que a constituição de si mesmo torna-se uma espécie de montagem. Uma espécie de montagem que, obviamente, representará muito mais o que a pessoa gostaria de ser do que o que ela é de fato. Neste sentido, a montagem de um perfil não apresenta diferenças significativas em relação à montagem de um produto comercial qualquer, como na escolha das características de um carro, por exemplo, na qual é possível selecionar o modelo, a cor, os acessórios e demais atributos superficiais, sem, contudo, alterar o fato básico de que se trata de uma simples transação comercial. Em ambos os casos, a diversidade de opções disponíveis, que no fim das contas são sempre limitadas, cria uma ilusão de liberdade confortante. O indivíduo pensa realmente ser livre ao escolher entre opções previamente dadas. O fundamental, pelo menos para o site em questão, é que sua função primordial, ainda que isso muitas vezes fique implícito, é simplesmente possibilitar e multiplicar a visualização social de um indivíduo. A realidade de um indivíduo é dada na medida em que seu aparecer social, o seu perfil cuidadosamente montado, é visualisado. Ser é ser visto. Ser é aparecer. Quanto mais observada e relacionada a pessoa, mais realidade ela possui. Mas devemos evitar condenar o site, ou as pessoas que o usam, pois o que fazem é reproduzir uma condição geral da sociedade atual. Não é isso que vemos a todo tempo? A busca pela celebridade a todo custo, pelos quinze minutos ou mais de fama a que todos tem direito, mesmo que isso implique a falta de sinceridade para consigo próprio, a falsidade para com o seu próprio ser? Não é isso que a mídia, sobretudo a mídia televisiva, nos diz a todo tempo? Fiquem famosos! Sejam reais!


* Filósofo

terça-feira, 11 de novembro de 2008

TERÇA EM MOVIMENTO

RONAN HORTA E DANIEL FONTES CONVIDAM VOCÊ PARAO TERÇA EM MOVIMENTO. ARTE, BAILE E OVERDOSE CULTURAL NO SEU ESCAMBO CULTURAL NA REPUBLICA LIVRE DE IPANEMA.
ESSA TERÇA TEREMOS:
CURTA: Vossa Excelência "O corrupto" filme de Andressa Furletti e Márcia Medeiros
POESIA EXPRESS PLUS MATER JAZZ FESTIVALESQUETE : Flávio Miguel convida Daniel Fontes e Ronan Horta para uma dublagem curiosa
MÚSICA : ABOU E OS CARAS DA TERRA DJ CONVIDADA: NATASHA HAYDTE
DEPOIS BAILE COM DJ MAURICIO !!!!
**DE VOLTA A DOSE DUPLA DE CAIPIVODKA ATE AS 22: 30 HRS
A PARTIR DAS NOVE DA NOITE NO CONVERSA AFINADA VINICIUS DE MORAES 75 - REPUBLICA LIVRE DE IPANEMA
ENTRADA FEM COM NOME NA LISTA ATE AS 21:00 LIVRE
APÓS 21 hrsENTRADA MASC R$ 10,00 ENTRADA FEMININO R$5,00
ENTRADA MASCULINO (SEM NOME NA LISTA)R$ 20,00
DEPOIS DAS 23:00 R$ 30,00

domingo, 9 de novembro de 2008

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA

O brasileiro lê muito pouco. A média de leitura anual no Brasil é de um livro por ano, enquanto na França é de vinte e cinco. Porém, o hábito de leitura é essencial para a formação do cidadão, e principalmente, para aqueles que abraçaram o ofício de jornalista. É o que afirma o coordenador deste curso no CESUMAR, Geder Luiz Parzianello: "Não acredito no jornalista que não tenha como hábito a leitura cotidiana". Geder ainda foi mais enfático: "A leitura para aquele que faz jornalismo é decisiva, crucial, e indispensável, e quem não lê bate a cara contra a parede". O coordenador não está sozinho em seu pensamento. Ele é corroborado pela professora de técnica de redação Rosane Barros:"sem leitura não existe aquisição de vocabulário, e em consequência não existe produção textual".

De fato, é difícil produzir um bom texto quando não se conhece a fundo o que se pretende abordar. Entrevistei também alunos do terceiro ano do curso de jornalismo do CESUMAR, como Lucas Frederico, 21 anos, que disse que só entrou neste curso porque gostava de ler, e disse mais: "qualquer tipo de mídia precisa de texto, e para um bom texto é necessário leitura". Outro entrevistado foi Thiago Ramari, 19 anos, que é segundo os colegas, um dos melhores alunos. Thiago acaba de estrear em uma coluna de cultura no jornal O DIÁRIO, e sua afirmação faz jus ao que disseram os colegas: "a função do jornalista é baseada na leitura. Não podemos entrevistar ninguém sem antes ler muito sobre o assunto que vamos tratar". Parece mesmo que a professora de técnica de redação está fazendo escola. Com a mesma idade de Thiago, Caroline Rocha, sua colega de turma, dispara: "o jornalismo tem que estar fora do senso comum, não pode viver de achismo!" Apesar de ler livros para a faculdade - que exige bastante de seus alunos - e ainda outros fora do currículo, faz-se importante também a leitura de jornais e revistas de circulação nacional e local, como bem disse Ana Carolina Fazio, 22 anos, moradora de Apucarana, também aluna do terceiro ano de jornalismo: "é muito difícil escrever bem sem leitura, mas quando digo leitura, não é só livrinho, mas ler também um bom jornal ou uma boa revista".
O assunto parece mesmo estar em pauta. Este mês a revista CAROS AMIGOS traz um artigo da escritora Ana Miranda com o titulo "SOBRE O HÁBITO DA LEITURA", em que a autora confirma a importância desse hábito e aponta um caminho: "A solução seria introduzir no currículo escolar a matéria leitura".
Texto escrito no primeiro semestre de 2006.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

AQUI JAZ UMA ÉPOCA

*Jan Theóphilo
As eleições municipais do Rio apontaram a Guanabara para um futuro político absolutamente incerto. As urnas sepultaram um estilo de governo representado por um grupo político, o do prefeito César Maia que, curiosamente sai de cena por ter adotado nos dois últimos períodos de governo, práticas que condenou nos discursos da primeira campanha e, justiça seja feita, abominou no primeiro período. Quando assumiu a prefeitura pela primeira vez, há 16 anos, César Maia pautou o seu governo no exemplo de administração de Carlos Lacerda, pra quem governar era essencialmente administrar. Do mesmo modo como Lacerda, César Maia recriou administrações regionais, para sufocar as lideranças políticas tradicionais. Solange Amaral, Eduardo Paes, Índio da Costa, AlexandreCerruti entre outros, são frutos desse modelo. Depois deles, surgiram, no segundo pelotão, Rodrigo Bethlem, Luiz Antônio Guaraná, Wanderley Mariz e Pedro Paulo.

O primeiro governo do César Maia era quase um ministério e não conheceu o clientelismo. 12 Secretários Municipais compunham a estrutura central, que teve nomes como Wanda Engels, Maria Sílvia e Ronaldo Gazola.

A mudança de rota aconteceu em 2000, depois da derrota de César para Garotinho na disputa pelo governo do estado. Aos mais próximos, o alcaide dizia que não fora ele o derrotado, mas um modelo de gestão. Ou seja, perdera a eleição justamente por não ter feito as famosas articulações tradicionais. A partir daí César começa, então, a buscar novas composições com alma clientelista. Começam a brilhar novos nomes na constelação cesarista. Os técnicos começam a perder prestígio para operadores políticos como Eider Dantas, João Pedro, Jorge Mauro. O modelo de governo que começou com 12 secretarias termina com 26 secretarias, entregues ao comando de parentes do prefeito e a políticos sem histórico profissional com as áreas. Essa mudança de comportamento criou um vácuo. César acabou com parte das antigas lideranças regionais, trouxe para o governo os familiares e políticos e mais tarde dispensou alguns dos principais técnicos do Rio. Sobrou um baralho de figuras híbridas, que nunca haviam sido políticas, tampouco quadros técnicos de alta qualidade. E, esse grupo agarrou-se à máquina pública para garantir substância política. Desse vácuo surgiu a Câmara Municipal que Fernando Gabeira identificou durante a campanha de modo interessante: "Lá há uma parte corrupta, outra que trabalha pouquinho e outra de matadores", afirmou o deputado do PV. O resultado das eleições deste ano comprova o esvaziamento de César Maia. Em seu pior momento, quando venceu a duras penas a eleição contra seu ex-pupilo Luiz Paulo Conde, César elegeu cinco vereadores pelo PTB. Em 2004, elegeu 14 pelo PFL. Mas, este ano fez apenas oito dos 12 que prometera eleger. À exceção de Eider Dantas, nenhum dos integrantes da direção dos cesarista se elegeu vereador. Solange perdeu com seu candidato do coração, o tijucano Luiz Humberto, Índio perdeu com Marinho na Zona Sul e Rodrigo Maia perdeu com Gustavo Cintra nacidade toda por exemplo. Nem mesmo seus vereadores ditos distritais conseguiram manter-se na Câmara, casos de Leila do Flamengo, Wanderley Mariz(da Ilha) ou mesmo de seu líder no parlamento carioca, Paulo Cerri, que tem base em Vila Isabel. César claro, já havia previsto o pior e pensou que a melhor alternativa para evitar o esvaziamento seria fazer um herdeiro político. Escolheu seu filho, Rodrigo, para herdar este legado. Seu último governo praticamente se constituiu como plataforma para fazer de Rodrigo um nome de peso no cenário nacional. Quando quatro nomes surgiram como pré-candidatos democratas, César chamou para si a responsabilidade da decisão e surpreendendo a todos, bateu o martelo por Solange Amaral. A única que levaria o plano até o final. Agora, ao que tudo indica, essas lideranças criadas por César têm tudo para desaparecer. E quem vai ocupar esse lugar? Com o vazio político criado pelo modelo cesarista de gestão, surgiu o fenômeno vencedor das eleições cariocas: a vitória dos milicianos apesar da presença das Forças Armadas em seus currais eleitorais .Os matadores, como se vê se elegeram e estão identificados. Resta saber quem, entre os eleitos e reeleitos, está no grupo dos corruptos ou dos que trabalham pouquinho.
*Jornalista

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

LA ARTE - ESCOLA E ESTÚDIO

CURSO – CÂMERA E LINGUAGEM FOTOGRAFICA (Com Rogério Laham) Novembro: Dias 08 e 09 em Londrina-PR

CURSO – PHOTOSHOCK – Superdicas de Photoshop para Iniciantes (Com Rogério Laham)Novembro: Dias 28 e 29 em Maringá-PR

CURSO – FOTOGRAFIA DE BELEZA, ILUMINAÇÃO E DIREÇÃO (Com CLICIO BARROSO) Previsão Novembro: Dias 22 e 23 em Maringá-PR

CURSO – FOTOGRAFIA DE NATUREZA – EXPEDIÇÃO FOTOGRAFIA (Com Rogério Laham) Previsão Dezembro – Saída de Maringá-PR destino Foz do Iguaçu.

Acesse agora http://www.portaldafotografia.com.br/ e consulte outras informações.
Atendimento pelo e-mail: curso@portaldafotografia.com.br ou pelo fone: (44) 3026-2760

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

SESSÃO Rio Hip-Hop - Toda quarta - Copacabana

Toda quarta-feira de novembro acontecerá a festa idealizada pelo Dj Kl Jay(RacionaisMc`s) considerado um dos melhores dj`s do Brasil, associado ao Mc ElTosh um dos Mc`s de maior conceito na cidade. Eles contam também com o apoio do dj Pachu reconhecido pelo seu alto nível técnico e bom gosto, além do UrcasônicaSoundSystem, que tocam o reggae e o dub jamaicano, as raizes do rap, fazendo a celebração da cultura hip-hop no Rio de Janeiro.


Semanalmente receberão dj`s e mc`s desenvolvendo o verdadeiro rap em todos seus estilos originais.
Atrações=
05/11 - Dj Kl Jay (Racionais Mc`s) + MC ElTosh+ Dj Pachu + Urcasônica Sound SystemPocket Show>> Cachaca crew
12/11 - Dj Lulinha + Dj Pachu + MC ElTosh+ Urcasônica Sound SystemPocket Show>> Fluxo
19/11 - Dj Tony (Mv Bill) + Dj Pachu + MC ElTosh+ Urcasônica Sound SystemPocket Show>> MC Funkero
26/11 - Dj Kl Jay (Racionais Mc`s) + MC ElTosh+ Dj Pachu + Urcasônica Sound SystemPocket Show>> Esquadrao Zona Norte
R$ 15,00 s/ flyer
R$ 12, 00 c/ flyer
R$ 10,00 c/ nome na lista por e-mail: hiphopsession@ig.com.br
Dose dupla de cerveja Itaipava até meia noite + dose dupla de Mojito e Cuba libre até 1h.
TODA quarta-feira de novembro, a partir das 23hrs.
Local= Clandestino, Rua Barata Ribeiro nº111 - Copacabana- RJ
Assista nos link`s os videos da festa RIO HIP-HOP que ocorreu em 17/09.
Dj Kl Jay discotecando>>http://br.youtube.com/watch?v=CnrTbVQrbiA
Mc ElTosh & Dj Kl Jay>>http://br.youtube.com/watch?v=woT2bu0uv9c
Mc Sombra & Dj Kl Jay>>http://br.youtube.com/watch?v=VS2keQqIycQEsta

Caminho Consciência - quarta-feira, 05/11

Esse é um chamado do meu irmão Luiz, do Caminho, para todos os que puderem estar lá!


Caros amigos, hoje teremos nosso encontro para dividirmos a Palavra. Um momento para comunhão e fortalecimento de nossos laços! Venha falar das coisas que Deus tem feito em sua vida, aproveite e traga um amigo seu!
Local: Bistrô da Caixa Econômica (no segundo andar).Largo da Carioca.
Hora: de 19.30 às 20.30
Informações:
Luiz - 8207-1496
Alexandre - 7841-7320

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

BLOG DO VINICIUS CORDEIRO

Hoje pela manhã quando acordei e abri o JB estava lá a matéria: PV ADMITE TER GASTO FUNDO PÁRTIDÁRIO INDEVIDAMENTE EM 2005. Já tinha publicado aqui sobre o livro do Jozé Louzeiro falando sobre o assunto.

Agora a noite recebi um telefonema do Vinicius Cordeiro, presidente do PT do B. No meio de nossa conversa ele meu perguntou se havia lido seu blog. Leio sempre que posso e hoje, confesso, não tinha lido! Quando abri o blog, após desligar o telefone, percebi que os meses de assessoria de imprensa que prestei para ele enquanto candidato à prefeito do Rio nos deixaram bem antenados. A matéria que publico a seguir é de hoje, da Folha de São Paulo, porém extraí do blog do Vinicius Cordeiro que todos os dias fala sobre política. Aliás, é bom pra quem foi candidato ou pretende um dia ser, já que Vinicius é um dos melhores advogados na área de legislação eleitoral. Hoje por exemplo ele também escreveu sobre o prazo para a prestação de contas dos que foram candidatos...vale a pena conferir: BLOG DO VINICIUS CORDEIRO


03/11/2008 - 08h51

PV admite ter gasto fundo partidário indevidamente em 2005
SERGIO TORRES da Folha de S.Paulo, no Rio

O PV (Partido Verde) reconheceu, em documento enviado ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que cometeu irregularidades nos gastos do dinheiro do Fundo Partidário em 2005 e propõe a devolução de parte da quantia se a Justiça Eleitoral julgar necessário.

Representado no governo Lula pelo ministro da Cultura, Juca Ferreira, o PV disputou o segundo turno no Rio de Janeiro com Fernando Gabeira, que teve 1.640.970 votos. O partido elegeu ainda a nova prefeita de Natal, Micarla de Souza. Em todo o país, elegeu 66 prefeitos e 1.128 vereadores. Em São Paulo, é aliado do DEM, do prefeito reeleito Gilberto Kassab.

Assinado por três advogados, entre eles Alexandre Kruel Jobim, filho do ministro da Defesa, Nelson Jobim, o documento foi encaminhado ao TSE em 22 de setembro. É a primeira vez que o PV admite ter praticado ilegalidades ao gastar o que recebeu do Fundo Partidário.

No documento, o partido alega que os erros decorreram de "vícios formais (...), cometidos em total boa-fé, todos já devidamente saneados, dentro da lógica do possível e do razoável". Mesmo assim, pede à Justiça Eleitoral a "aprovação integral" das contas ou, "quando não muito, com ressalvas". Caso o tribunal não concorde, o PV pede que "seja facultada a pronta devolução ao erário" de R$ 78.397,81, referentes à parte das despesas questionadas.

Nos dois últimos anos, os gastos do PV em 2005 vêm sendo esmiuçados pelos técnicos do TSE. Em 16 de junho passado, a quarta análise das finanças do partido --sempre desfavoráveis às justificativas apresentadas-- gerou relatório de 18 páginas encaminhado pelo secretário interino de Controle Interno e Auditoria do tribunal, Wladimir Azevedo Caetano, ao relator do processo, ministro Caputo Bastos.

O secretário sugere ao ministro, mais uma vez, "a desaprovação das contas do Partido Verde referentes ao exercício de 2005". No relatório, o analista judiciário Evandro da Cunha Menezes, responsável pela apuração da Justiça Eleitoral, relaciona 11 irregularidades cometidas pelo partido nas despesas efetuadas com os R$ 1.149.872,18 recebidos do Fundo Partidário naquele ano.

Conforme a Folha revelou na edição de 13 de junho deste ano, a direção nacional do PV incluiu notas fiscais de empresas inexistentes nas prestações de contas apresentadas ao TSE referentes a 2004 e 2005.


NOTA DESTE BLOG: GABEIRA FOI OMISSO E APOIOU A REELEIÇÃO DE PENNA E OUTROS DA "OPERATIVA" DO PV...SEM MAIS COMENTÁRIOS...A TURMA DO PV É QUE DEVE EXPLICAÇOES POR TER EXPULSADO DO PARTIDO OS DENUNCIANTES...

Fonte: BLOG DO VINICIUS CORDEIRO

domingo, 2 de novembro de 2008

Não deu na GRANDE mídia...

UNIVERSIDADE DE PORTAS ABERTAS

Depois de passearem no shopping Rio Sul no ano dois mil, ocuparem o cinema ODEON BR para o lançamento do documentário que retrata o ato do Rio Sul, agora os integrantes de diversos movimentos populares ocuparão a Universidade. A idéia é do NIS - Núcleo de Inclusão Social do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais(IFCS), que receberá amanhã, ás 14hs, diversos segmentos da sociedade para debate. De acordo com os organizadores, a proposta é trazer à tona propostas de diferentes cursos e, em que medida, tais cursos podem fornecer algum tipo de resposta às demandas mais básicas da sociedade, bem como debater o papel da Universidade nesse contexto.

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

EXPRESSO MARINGÁ - LOTAÇÃO NÃO PERMITIDA 80 PESSOAS!


Antevéspera de Natal de 2005 cheguei à rodoviária de Maringá para comprar uma passagem que me levaria, junto com minha família, para Guaíra, onde pegaria um outro ônibus para o Mato Grosso do Sul, onde passaríamos as festividades de fim de ano.

Comprei duas passagens para Guaíra no guichê da EXPRESSO MARINGÁ , com data do dia vinte e quatro de dezembro, horário de oito horas da manhã.


O bilhete veio junto a uma propaganda da empresa desejando "Boas festas, feliz 2006", e ainda dizia: EXPRESSO MARINGÁ “onde você é tudo”.


Fiquei feliz ao ver que dentro desta propaganda vinha uma foto de um lindo ônibus, que por conhecer o código de defesa do consumidor, presumi ser o carro em que viajaríamos...


Grande decepção e indignação no dia marcado de nossa passagem, quando ao chegar ao local de embarque, percebi que nosso ônibus era um ônibus extra, fora das especificações e propaganda feita pela empresa!


Estaríamos viajando então em um ônibus da INGÁ TUR, sem ar condicionado e de categoria bem inferior à propaganda.


Ao me acomodar com esposa e filha, nas poltronas de numero 25 e 26, e tentar abrir a janela, uma vez que o ônibus era desprovido de ar condicionado, minha surpresa ao perceber que a janela, emperrada, não abria! Chamei o motorista para tentar me ajudar a abrir, porém sua tentativa também foi infrutífera!


Saímos de Maringá ás oito horas e dez minutos.


Ás oito horas e quarenta minutos estava saindo da rodoviária de Paissandu, com a lotação máxima do ônibus, e ainda oito passageiros adultos e três crianças em pé, sem lugar!


Chegamos ás oito horas e cinquenta e oito minutos em Doutor Camargo, onde desembarcaram dois passageiros. Ao sairmos da mesma rodoviária ás nove horas e cinco minutos, percebi que haviam embarcado mais cinco passageiros, perfazendo um total agora de 11 passageiros adultos em pé, e três crianças, que a essa altura já se acomodavam em colos.


Ás nove horas e trinta e tres minutos chegamos à rodoviária de Jussara onde descem quatro passageiros e sobem 15 adultos, sem contar as crianças, uma vez que a visão dentro do ônibus, de nossos lugares, começava a ficar impossível. Total 22 passageiros em pé, fora crianças...


Ás nove horas e cinquenta e sete minutos entram mais oito pessoas, perfazendo um total de 30 passageiros em pé dentro do ônibus. Entre crianças e adultos, sentados e em pé, nesse momento somavam-se uma média de 80 pessoas!
Ao chegar em Umuarama, procurei o encarregado da empresa, para quem relatei o fato, pois achava que era antes de tudo uma irresponsabilidade para com a vida de minha família e de todos os outros passageiros.
Nesse momento o passageiro Fábio Rogério, que havia tirado fotos, anota meu e-mail e diz indignado que me mandaria as fotos que estão aqui.

Fotos tiradas pelo passageiro Fábio que também ficou indignado com a situação.



Depois de tudo isso, resolvi entrar com um processo contra a empresa no Juizado Especial Civil de Maringá. Através de um advogado pedi uma indenização por danos morais, já que depois de viajar por todo o país de ônibus, nunca tinha sido tão aviltado como nessa ocasião.


Acabei por descobrir que a empresa era da família Constantino, os mesmos donos da Gol e da única empresa que tem o monopólio do transporte publico da cidade. Descobri também que a família Constantino havia morado em Maringá. Alguns amigos me disseram que era tempo perdido, pois dificilmente ganharia um processo contra alguma empresa da família na cidade.


Fui visitar a garagem da empresa para tirar umas fotos do ônibus e descobri que o tal ônibus havia sido colocado à venda! Porque? Seria pelo fato do ônibus realmente não ser mais útil para transporte de passageiros? Ou pelo fato do veículo estar mesmo tão avariado?

Bom, o processo demorou seis meses na mesa de um juiz leigo que daria a sentença para ser avalizada pelo juiz do Juizado Especial Civil de Maringá. Depois de tanto tempo veio a sentença IMPROCEDENTE! Achei aquilo o cúmulo! Acredito mesmo que tinha algo de estranho...


Agora, estou entrando com a mesma ação em nome de minha filha, menor, nascida no Rio de Janeiro, que não pôde sequer ser levada ao banheiro no momento que necessitava, já que a lotação de oitenta pessoas não permitia. Vamos acompanhar... aqui no Rio o buraco é mais em baixo!

Fotos tiradas pelo passageiro Fábio que também ficou indignado com a situação.

Ratos di VERSOS

O evento acontecerá amanhã à noite perto do Beco do Rato, na Lapa e acontece de duas em duas semanas. Na última edição eu estava lá bebendo uma cerveja com minha amiga, a poeta Marla de Queiroz. Fui presenteado com o livro "ACORDEI NUN ICEBERG" pela, também poeta, Juliana Hollanda. Indico aqui para vocês a programação de amanhã na Lapa, bem como a leitura do livro de Juliana, que dedicou uma página aos Ratos di VERSOS.
BECO MÁGICO
Para o Ratos di VERSOS

buraco a céu aberto
encruzilhada de palavras movidas a cerveja
reunião de amigos
reflexões hilárias
microfone liberado para o que der e vier
palavras ao vento, jogadas
tormentos no ventilador.
Visitem também o blog de Juliana: http://www.sousachet.blogspot.com/

terça-feira, 28 de outubro de 2008

A MISSÃO

A MISSÃO
Ele mora na cidade maravilhosa,
O maravilhoso lar da ilusão,
Onde os canibais da selva de pedra
Passeiam por aí de AR15 na mão!
Ele cresceu no meio da incoerência,
A desigualdade, a falta de providência,
A insanidade urbana, os desencantos mil
Na violenta Babilônia do meu Brasil:
O Rio de Janeiro!

Ele poderia ter ficado imparcial,
Passivo a tudo e tentar ser normal,
Mas algo o atingiu de forma impactante...
E não era bala perdida de PM ou de traficante!
Era a missão celestial
Alucinante, irradiante, transcendental;
A família, os amigos, pouca gente entendeu...
“_O André enlouqueceu de vez? O que aconteceu?”

André sobe o morro!
Sobe porque sabe que tem uma missão.
André sobe o morro!
Sobe o Dona Marta com muita determinação!
André sobe o morro!
Sobe porque sabe a resposta pro Rio de Janeiro!

Rio de Janeiro muda a direção!
O Redentor está de braços abertos te esperando.
Rio de Janeiro muda a direção!
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro!

Ele não conseguiu ficar trancado no quarto,
Ele não conseguiu fingir-se de avestruz!
Lá fora a desgraça atravessando a rua
A infelicidade dominando nua e crua!
Crianças são comidas por seus vermes intestinais,
Vermes manipuladores de injustiças sociais;
Homens se matando como ratos enclausurados
Num Rio de Janeiro que desaba aos pedaços!
O Rio de Janeiro!

André sabe que a resposta é só Jesus
No coração das favelas e dos barracos,
No coração dos castelos e dos palácios,
No coração de cada cidadão,
No coração do Rio de Janeiro,
No coração do meu Brasil
Música do CD "O QUE A GENTE FAZ FALA MUITO MAIS DO QUE SÓ FALAR"(1995) do conjunto FRUTO SAGRADO

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

ELEIÇÕES 2008: BREVE RELATO

Comecei esse periodo eleitoral trabalhando na campanha da Ingrid Gerolimich (PT). Conheci-a há mais ou menos uns dez anos atrás durante a campanha do Biscaia para vereador do Rio, quando eu ainda era filiado e militante do partido. Acreditei na possibilidade da candidatura dela e apresentei para ela o Pimentel, que também começou a apostar na campanha dela, apresentando muitos amigos e empresários para a jovem candidata. Porém recebi um convite de Vinicius Cordeiro (PT do B) para fazer sua assessoria de imprensa, o que me chamou atenção, porque entre fazer a assessoria de imprensa de uma campanha proporcional e uma majoritária, preferi fazer a assessoria de um candidato à prefeito.

Comecei então a fazer um trabalho a quatro mãos, como deveria ser uma assessoria de imprensa de um candidato que não tinha tanta grana para pagar o que os candidatos com campanhas com mais dinheiro tinham. Fiquei sabendo, por exemplo, que Eduardo Paes, tinha uma grande equipe, que com certeza ganhou bem mais que eu!

Independente da questão salarial estava em jogo uma nova experiência, um trabalho que poderia render mais do que o meu salário, poderia render novas parcerias. De fato foi o que aconteceu... conheci muita gente, vi muitas coisas e tenho um vasto material para publicar sobre tudo o que aconteceu de experiências que tive durante esse tempo. Além disso, pude também entender mais profundamente como se dá o processo eleitoral, afinal Vinicius Cordeiro não é só presidente do PT do B, é também um dos melhores advogados na área de legislação eleitoral.

No segundo turno Vinicius e o PT do B apoiaram Eduardo Paes. E eu não fiz diferente. Não apóie só pelo fato do Vinicius apoiar, não! É só ver meus argumentos em publicações anteriores aqui no blog.

Ontem minha vizinha, que me viu fazer campanha para o Vinicius e depois para o Paes veio me parabenizar pela vitória de Eduardo Paes dizendo: "agora nós podemos cobrar, que bom que temos você para intermediar!" Tenho agora uma responsabilidade para com as centenas de pessoas que pedi voto, que confiaram em meus argumentos e que acreditaram nessa proposta.

Convido aos meus leitores a continarem a acompanhar esse blog, que se tornem leitores permanentes, se cadastrem e ajudem a cobrar, como disse minha vizinha.

Compartilhe!