sábado, 15 de dezembro de 2007

19° DIA DA GREVE DE FOME DO BISPO DOM LUIZ FLÁVIO CAPPIO.

O texto abaixo me foi enviado pelo professor de História Hamiltom Moraes, pessoa de minha confiança e admiração. Apesar de não conhecer profundamente todas as nuances deste caso, decidi publicá-lo, por entender a importância de se chegar ao ponto final dessa greve de fome, através de um diálogo entre o governo e os movimentos sociais, que se encontram lutando pela não transposição do Rio São Francisco.


Aguardem texto sobre o MOVIMENTO FAVELANIA!


------------------------------------------------------------------


19° DIA DA GREVE DE FOME DO BISPO DOM LUIZ FLÁVIO CAPPIO.








No dia 27/11, o bispo de Barra (BA), dom Luiz Flávio Cappio, iniciou sua 2a greve de fome contra as obras de transposição do Rio São Francisco. Ele não se alimenta desde a manhã da terça-feira dia 27 de novembro.

Há 19 dias em greve de fome, o bispo da Barra, na Bahia, dom Luiz Flávio Cappio, continua recebendo visitas de solidariedade a sua determinação de ver paralisadas as obras de transposição do rio São Francisco. O bispo continua recebendo manifestações de solidariedade de toda a região, principalmente das cidades de Juazeiro e Petrolina, onde as duas dioceses têm acompanhado tudo de perto.

Outros bispos da Regional Nordeste 3 da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil(CNBB), que envolve Bahia e Sergipe, também têm mantido contato permanente com dom Cappio.

Nas cidades de Petrolina e Juazeiro, além de outras da região, as escolas de ensino fundamental e médio e as universidades também estão mobilizadas em torno do assunto. Segundo Juvenal Lemos, da diocese juazeirense, houve uma ameaça de fechamento da ponte Presidente Dutra, mas não aconteceu em razão de os próprios serviços de duplicação da ponte já provocarem problemas no trânsito.

Nas igrejas, os padres e bispos fazem homilias voltadas para o tema da greve do bispo e pedem que a população também reze em favor dele. Por outro lado, o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, já colocou uma ambulância no local à disposição do bispo e foi instalado um posto médico para qualquer emergência. “Eu vejo que o estado do bispo é cada vez pior. Cada vez a gente percebe que o seu corpo está se debilitando”, disse Juvenal Lemos, da diocese de Juazeiro, que visita o dom Cappio diariamente.

O bispo exige a retirada do exército das áreas dos eixos norte e leste e o arquivamento do projeto de transposição de águas do rio São Francisco.

Cappio afirmou que "o governo iniciou as obras de forma autoritária, e agora deve assumir seu autoritarismo e suspender a transposição".

O bispo tornou-se um dos símbolos da luta contra o projeto de transposição do Rio São Francisco ao iniciar, em setembro de 2005, a primeira greve de fome às margens do rio.

Naquela época, entre as reivindicações do bispo, estavam a retomada das negociações com os movimentos sociais de defesa da Bacia do São Francisco.

O protesto chamou a atenção da imprensa internacional e, após dez dias, Lula mandou ao local o então ministro das Relações Institucionais, Jaques Wagner, atual governador da Bahia, que negociou com o bispo o fim da greve de fome.

O bispo afirmou que até agora, o governo não fez nenhum contato. "Oficialmente, não tivemos nenhuma resposta", afirmou o bispo, destacando que está comovido com as manifestações de solidariedade.

Caravanas do interior da Bahia, de Pernambuco, de Sergipe e de Alagoas começaram a chegar nesta manhã a Sobradinho, na Bahia (554 quilômetros a noroeste de Salvador), para o ato ecumênico previsto para a manhã de domingo, em apoio ao bispo de Barra, d. Luiz Flávio Cappio, que hoje entrou no 12.º dia de jejum contra o projeto de transposição do Rio São Francisco. Espera-se que 10 mil pessoas, entre religiosos, fiéis e integrantes de movimentos sociais de todo o País compareçam ao evento.

Também compareceu a atriz Letícia Sabatella. Integrante do Movimento Humanos Direitos -organização não-governamental comandada pela também atriz Dira Paes-, Letícia chorou ao falar com o bispo.

"Ele é um exemplo para todos nós", acredita.

Durante a semana, o movimento havia mandado uma carta de apoio ao bispo, assinada por 48 integrantes.

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) aderiu ao pedido da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) de apoiar a greve de fome do bispo de Barra (BA), dom Luiz Flávio Cappio, que começou no dia 27 de novembro, como forma de protesto contra a transposição do Rio São Francisco.


De acordo com a assessoria de imprensa do MST, o movimento apóia o jejum e vai mobilizar seus integrantes a participarem, na segunda-feira (17), do Dia Nacional de Vigília e Jejum Solidário, data definida pela CNBB.

No Distrito Federal, 15 integrantes da Via Campesina estão sem comer desde ontem (13) para pedir o fim das obras de transposição do Rio São Francisco.

Em nota divulgada no último dia 12, o Conselho Episcopal de Pastoral da CNBB convida "as comunidades cristãs e as pessoas de boa vontade" a se unirem ao jejum.

"A CNBB tem afirmado, junto ao governo e à sociedade, a necessidade de dar continuidade a um amplo diálogo sobre o projeto de transposição das águas do Rio São Francisco. Tem sinalizado também a importância da revitalização do Rio e a garantia de toda população ao acesso à água de boa qualidade como um direito humano e um bem público", diz o documento.

Segundo a nota da CNBB, um governo democrático "tem a responsabilidade de interpretar as aspirações da sociedade civil, em vista do bem comum, de oferecer aos cidadãos a possibilidade efetiva de participar nas decisões, de acatar e de respeitar as determinações judiciais, em clima pacífico".

Cada vez mais abatido, mas firme no propósito de ingerir apenas soro caseiro -pelo menos três litros por dia, segundo recomendação médica-, Cappio acordou antes das 5 horas, disse se sentir bem e seguiu seu ritual de orações e de recepção aos fiéis. Frei Cappio reafirmou que seu protesto será levado "até o fim" caso o Exército não deixe os canteiros de obras e o projeto não seja arquivado.

"Não quero morrer, mas a vida do rio e do povo do rio vale meu sacrifício e meu martírio, se for preciso", afirmou Cappio.

O bispo também voltou a afirmar que, para ele, o projeto de transposição é uma "farsa de marketing", que usa a imagem da erradicação da sede no interior nordestino para "aplacar a sanha pela acumulação ilimitada de capital". "É um absurdo usar o imaginário da seca para justificar a implantação do mercado da água bruta no sertão do Nordeste, feito para abastecer grupos econômicos que precisam do uso intensivo de água", ataca. "O que não se mostra é que esta ameaça pode ser fatal para o rio -e para a população que vive dele-, como já é perceptível aqui em Sobradinho, onde o reservatório, construído há 30 anos, está com menos de 14% da capacidade."

"Estou admirado com a solidariedade do povo."




quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Lançamento do livro NO DIVÃ COM DEUS de CAIO FÁBIO

Caio Fábio estará fazendo o lançamento do livro No Divã com Deus, no dia 15 de dezembro, sábado, a partir das 18:30 hs, na Saraiva MegaStore do shopping Pátio Paulista.

Estará no evento, participando de um pequeno sarau, o cantor Jorge Camargo.

Maiores informações pelos telefones da Fonte Editorial.

Fonte Editorial(11) 3151-4252/323-74760 ou (11) 9213-9843 (fora do expediente).

O shopping está localizado à R. 13 de Maio, 1497 (a loja fica no piso 2).

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA CONCURSO DO PORTAL DA FOTOGRAFIA

Concurso Fotográfico "Família do Coração" 10 Gigas em Prêmios!

Concurso será realizado de 5 de Novembro de 2007 até o dia 13 de Dezembro de 2007 e terá como tema “Fotografe sua Família”.

O participante deverá se inscrever enviando NOME, CPF, TELEFONE E ENDEREÇO junto com foto anexada para o e-mail concursofamilia@portaldafotografia.com.br até o dia 13 de Dezembro.

Não haverá custo algum para participar do Concurso.

Haverá apenas uma categoria, a foto mais criativa.

Serão selecionados 5 (cinco) imagens e os vencedores ganharão um total de 10 Gigabytes em Prêmios e certificados de participação.

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

PEGANDO O BONDE DA HISTÓRIA, REGADO A PAGODE

A vida em risco de ativistas sociais virou tema de debate de diferentes grupos defensores de direitos humanos no mundo inteiro. Recentemente André Fernandes teve sua vida ameaçada pela segunda vez, e esta notícia atravessou os canais oficiais. Foi parar na Irlanda, ocupando hoje a quarta Plataforma de Dublin, que relata perseguições a defensores dos Direitos Humanos mundo afora. Conforme noticiou Jan Teophilho em sua coluna do Jornal O Dia. André Fernandes está na lista dos brasileiros, junto com Valmir de Oliveira, do MST, assassinado mês passado.
Como participante desta história, gostaria de compartilhar com vocês os fatos. Há cerca de quatro meses atrás, no lançamento do site da ANF, conhecemos Ana Margarida, uma portuguesa em visita ao Brasil, que pesquisava sobre movimentos sociais. Mantivemos com ela uma relação estreita, que se transformou numa profunda amizade. A convite de Mauricio Campos, fomos juntos a uma vigília contra as ações da polícia durante o PAN, no morro do Timbau, promovida pela Rede de Comunidades e Movimento Contra a Violência. Entre caipirinhas e fartos gestos de proximidade, nos misturamos aos visitantes, ativistas, moradores, crianças da localidade e alguns corajosos que toparam encarar a chuva que não parou um só minuto. Ana Margarida e eu nos assustávamos com a entrada dos policiais armados que invadiam os cômodos mais íntimos da casa, sem mandato de busca, ao som do pagode, no meio das crianças e pessoas de idade. Estávamos em pleno PAM e, segundo os moradores, isto era rotina, um pouco a mais do normal por causa das atividades do senhor César Maia.
De volta a Portugal, Ana Margarida continuou desejosa de saber notícias. Logo em seguida, André Fernandes recebeu a ameaça de morte e iniciamos, por intermédio dela, o primeiro contato com a Front-line, que nos recebeu com muito interesse, solicitando-nos mais dados acerca do seu trabalho. Com a ajuda de amigos conseguimos traduzir a trajetória de André, enviando-a juntamente com as notícias que recebíamos de fora: André viajando por vários Estados do Brasil, divulgando a ANF. Continua vivo e ativo, como dissemos a ela em várias oportunidades.
De posse da trajetória, a Front-line se interessou em participar conosco,orientando-nos no que fosse necessário. Mostraram-se profundamente indignados com o fato da imprensa brasileira divulgar seu nome e sua foto em um de seus jornais, com a informação de que ele estaria sendo ameaçado pelos traficantes locais, o que não era e nem é verdade, pois a ameaça até hoje não foi identificada. Esclareceram-nos acerca do fato de que, não somente no Brasil, mas em outras partes do mundo, a carreira do ativista social tem sido associada ao tráfico e às drogas, como uma forma de desqualificar o trabalho. Enviaram ainda, para o Presidente Lula uma carta em que reivindicam apoio pessoal a André Fernandes, exigindo do governo proteção para sua vida e de seu trabalho.
Além de todas estas ações voluntárias, nos foi oferecida a escolha do nome de André Fernandes para fazer parte da lista dos 12 ativistas sociais de todo o mundo, em um post-card por ela publicado, a ser divulgado em vários lugares. Ficamos muito honrados de estarmos fazendo parte deste momento da história, onde um ativista social recebe apoio de amigos e sociedades internacionais, conseguindo sobreviver às ameaças, mantendo-se vivo em meio a intempéries e dificuldades. Sabemos que isto não é o suficiente, é apenas o mínimo que pudemos fazer, de forma conjunta, para dar-lhe a merecida dignidade. Desejamos que este seja apenas o primeiro passo de uma longa e feliz caminhada. Para todos aqueles que acreditam na luta e na força conjunta, que depende de todos e não somente dos que se colocam à frente, tornando-se alvejados.
Eliane Martins é psicanalista.

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

SITE DA ANF NO AR!

Gostaria de esclarecer aos leitores que acompanham o DIÁRIO ANDRÉ FERNANDES que tenho estado extremamente atarefado com o novo site da ANF - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DAS FAVELAS que foi recolocado no ar há poucos dias atrás, tomando assim todo meu tempo.
Agradeço aos e-mails enviados de preocupação e espero poder suprir a demanda de todo o trabalho que me proponho a fazer. Em breve teremos surpresas aqui nesse espaço com colaboradores que estarão escrevendo em dias fixos da semana, abrindo assim o blog para divulgação de textos de pessoas que respeito e admiro.
Espero que todos os leitores aqui sejam também leitores da ANF e ainda que possam divulgar e participar de nossa organização da maneira que melhor lhes convir.
Visite, divulgue e participe!

domingo, 21 de outubro de 2007

Não deu na GRANDE mídia...

CLIENTES CLARO INSATISFEITOS

Esse já é o segundo fim de semana que clientes da operadora CLARO não conseguem efetuar ligações. Toda a vez que os clientes ligam para um numero da mesma operadora ouvem uma gravação dizendo que o numero está incompleto. E se o usuário for tentar reclamar pode se preparar para gastar um bom tempo esperando e ainda assim correr o risco de não obter exito.

sábado, 20 de outubro de 2007

COMUNIDADE DIÁRIO ANDRÉ FERNANDES

O ORKUT é para alguns um divertimento, no meu caso é uma ferramenta de trabalho, onde agrego pessoas com quem realmente já tive algum contato fisico ou no máximo pessoas que se aproximaram virtualmente por algum interesse comum.
As vezes fico pensando o quanto deve ser chato ter mensagens que você não está a fim de receber. Eu pelo menos acho chato. Para acabar com isso criei uma comunidade no ORKUT para reunir aqueles que estão interessados em receber mensagens do DIÁRIO ANDRÉ FERNANDES.
É bom ter vocês, leitores, nesse espaço e espero poder suprir a expectativa de vocês!
COMUNIDADE DIÁRIO ANDRÉ FERNANDES: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=40658330
BEM VINDOS!

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Não deu na GRANDE mídia...

OS MELHORES PARLAMENTARES

Chico Alencar(Psol-RJ) ficou em segundo e Fernando Gabeira(PV-RJ) em primeiro na pesquisa feita pelo site Congresso em foco com 188 jornalistas que cobrem o congresso. Agora o site que já conta com mais de noventa mil votos pretende saber da opinião pública quem são os melhores parlamentares. Enquanto os dois campeões de votos, segundo jornalistas, somam juntos 174 votos, sete deputados do Rio tiveram só um voto cada um deles. Entre os vinte e cinco deputados finalistas, do Rio, só os combativos Gabeira e Chico ficaram no páreo.

domingo, 7 de outubro de 2007

Não deu na GRANDE mídia...

FILME TROPA DE ELITE SUSCITARÁ DEBATE SOBRE LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS
O Movimento Nacional pela Legalização das Drogas (MNLD) aposta em uma onda de debates sobre a legalização das drogas a partir do filme TROPA DE ELITE. Por conta disso decidiram reunirem-se na segunda-feira (08 de outubro), às dezoito horas no pátio do IFCS (Instituto de Filosofia e Ciências Sociais) para decidirem como aproveitarão tal "onda". No filme a questão é abordada de uma maneira não tão profunda, mas talvez de maneira inédita.

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

LANÇAMENTO DO LIVRO "A CONTRAPELO" DE MARCIANO LOPES

Hoje é lançamento do segundo livro de Marciano Lopes em Maringá. Em conversa com o autor ele me explicou o porque do titúlo "A CONTRAPELO" falando do filósofo Walter Benjamim. Nesse momento lembrei-me de nossa colaboradora, a psicanalista Eliane Martins, que é uma leitora ávida de Benjamim. Leiam aqui um texto de Eliane Martins sobre o livro de Marciano.


NA CORRENTEZA DO TEMPO a gente esbarra na poesia...

Negro impasse:
erguer ruínas
ou contorná-las
em abismo

Perplexo vivo à deriva
caçador de cacos
na correnteza do tempo.

Contrapelo é uma expressão benjaminiana que não escapa a um leitor avisado. O título do livro de Marciano remete ao ferrão quase poético de um autor instigante, que nos desperta em cada uma de suas linhas à inquietude com o mundo e a busca por uma verdade histórica digna de ser vivida. Busquei as pegadas históricas do nosso filósofo de Frankfurt nas letras de Marciano, já que recebi dele a confissão de uma paixão comum: Benjamim, o filósofo do coração.
Encontro na poesia, isso era um aviso, o negro impasse proposto por Benjamim frente a qualquer monumento, uma vez que a barbárie se presentifica, ainda que sob a forma de resistência, em diferentes contornos da vida. É preciso escovar a história a contrapelo, nos lembra Benjamim nas suas dez teses, identificando em cada rastro humano a presença ameaçadora do sangue derramado pela prática cotidiana da injustiça. O materialista histórico rema contra o óbvio estabelecido, revolvendo as camadas obscuras que se querem esquecidas, resgatando nos cacos que ficam à deriva a única possibilidade de transmissão de alguma verdade digna.Aquilo que é tratado como exceção, a dor humana em seus profundos labirintos, é a regra geral vivida a contrapelo, sobre a qual temos que nos basear na luta contra a injustiça. Manter viva a possibilidade do assombro, contra qualquer forma de desumanidade praticada dentro e fora de nossas fronteiras mais íntimas, remove nossas pequenas mediocridades estabelecidas.
Na correnteza do tempo, como Benjamim, lutamos poeticamente contra o mundo profano, cúmplice do conformismo.Enquanto escrevo este texto ouço na TV uma matéria sobre o Carandiru, uma das maiores barbáries já cometidas neste país, transformada em livro, filme e outros monumentos de cultura devidamente reconhecidos. A história manchada pelo sangue dos oprimidos, que deveria nos causar horror a qualquer tentativa de contorno, leva certamente ao abismo. Um jornalista - plenamente reconhecido como porta-voz dos opressores, que como nos alerta Benjamim, tem vencido esta guerra contra a vida - referenda a barbárie, sob a alegação de que as vítimas eram merecedoras da crueldade praticada maciçamente, em nome da ordem social estabelecida.

A perplexidade, nos ensina Benjamim, não nos paralisa. Ela vira trabalho político e a gente ainda cata os cacos, fazendo poesia. O texto de Marciano nos traz de volta à vida, na correnteza do tempo, dignamente reestabelecida.

Eliane Martins

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

DOE SANGUE - UM GESTO DE AMOR AO PRÓXIMO!

Doei sangue pela primeira vez em 1991 quando era fuzileiro naval. Ganhei um louvor em minha caderneta de registro por conta da doação que fiz na casa do hemofílico. Dezesseis anos depois, continuo doando de seis em seis meses. É um ato de solidariedade para com o próximo, sem contar que um dia qualquer um de nós pode precisar!
É importante esclarecer para quem se interessar em praticar esse gesto nobre, acerca de alguns pensamentos do imaginário popular que muita das vezes fazem as pessoas desistirem de doarem:

-Doar sangue não engorda

-Doar sangue não leva ao hábito

-Doar sangue não engrossa sangue

Tendo sido dito isso, então, o que é necessário para doar sangue?

-Levar documento de identidade com foto

-Ter boa saúde

-Não estar grávida ou amametando

-Ter entre 18 e 65 anos

-Pesar mas de 50kg

-Ter dormido bem à noite

-Não comer no dia da doação alimentos gordurosos tais como leite, manteiga, queijo, margarina, etc...

-Não doar em jejum

-Não ser usuário de drogas

-Não ter comportamento de risco para doenças sexualmente transmissíveis

-Consumir a bebida açucarada oferecida antes da coleta

E após a doação:

-Beber grande quantidade de liquídos não alcoólicos no dia da coleta

-Não fumar na 1º hora após a doação

-Não realizar esforço físico por 24 horas

-Não carregar peso no braço da doação por 24 horas

Em todos os lugares que você decidir doar sangue, de acordo com normas do Ministério da Saúde, deverão ser realizados testes de triagem que tenham alta sensibilidade para que não haja o menor risco de transmissão de doença aos pacientes.
Há um mês atrás doei sangue no SERUM do centro. Sexta-feira chegou em minha caixa de correio uma carteirinha de doador voluntário com meu grupo sanguíneo e todos os exames sorológicos, incluindo HIV, Hepatite B, Hepatite C, HTLV I/II, Doença de chagas e Sífilis.
A pessoa que doa sangue recebe um lanche após a coleta e é dispensada do dia de trabalho.
Quem quiser doar sangue poderá procurar o SERUM nos seguintes endereços:

CENTRO
Rua Riachuelo, 43 - 3º andar
Hospital da Ordem do Carmo
Tel: 21-3233-5950
2º a Sábado - 08:00h às 12:00h
BOTAFOGO
Rua Conde de Irajá, 429
Hospital Semic
Tel: 21-2266-5098
2º a 6º feira - 08:00h às 12:00h

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

NOVE ANOS NO MORRO

O texto que estou publicando hoje é da autoria da poeta e artista Gisele Cesar, uma amiga-irmã de Caminhada.
-----------------------------------------------------------------------------

“Eu queria não sentir esse desejo de rebelião, eu queria abrir um canto que não soasse como o estrondo de um canhão.

Eu queria saber das bocas macias que me provocam o gosto desconhecido do amor e com meus pés descalços marcar fundo a história da terra deste chão.

Eu gostaria de entoar uma canção impatriota que falasse de todos os crimes que não cometi e que contasse dos casos dos bandidos que cheiram sem nariz.

Eu queria por um triz escapar do bem e do mal e viver à margem da escola nacional.

Eu queria te contar que os ruídos corroem o que não se pode ouvir e que as bocas só falam da TV o que se deve concluir.

Mas no Brasil com Z já não se sabe mais sambar o carnaval.

Eu queria olhar as crianças sem fuzis e cuspir do prato a fome que não comi, eu queria te contar como nasci, vendendo cola e registrando a marca da navalha com que me feri.

Eu queria que esse ódio no olhar embalasse o berço de ouro das crianças de Copacabana e no morro, no momento seguinte os meus nove anos, eu já fizesse vinte quadrilhas de corpos no chão.

Sou assim, sem correr perigo, um pesadelo civil, um umbigo, um menino, o teu pior inimigo.”

Depoimento dado por José Lúcio Clemente, vulgo “passinho”, ao delegado de polícia da FEBEM, por ocasião de sua apreensão por porte ilegal de armas e tráfico de drogas.
Passinho foi encontrado morto nesta madrugada com dois tiros na cabeça, a polícia suspeita de queima de arquivo, pois o menor, apesar de pouca idade, se movimentava com destreza pelas ruas da vadiagem da favela onde morava.

Gisele Cezar


Maringá, setembro de 2007.

terça-feira, 25 de setembro de 2007

ANF NO PARANÁ

Para estar em Maringá não é necessário fazer muitos planos. Passei uma mensagem para Isabela Campoi, pois sabia que ela se encontrava na cidade. Perguntei para ela se tinha um lugar para eu ficar e ela me respondeu prontamente que poderia ficar na casa do Artista Mario Donadon. Me mandou logo o endereço para que eu pudesse me dirigir para lá. O endereço, apesar de agradável, era na rua Vasco da Gama... Mario Donadon mora sozinho na casa de sua família, onde morou seu pai, também artista. Ao chegar fui recepcionado com um almoço na casa da Isabela, que mora próxima ao Mario. Apesar de Isabela estar morando no Rio de Janeiro, veio para Maringá para apresentar-se no III Seminário Internacional de História. Tentei por várias vezes ouvir uma aula de Isabela no IFCS, porém foi em Maringá que pude ter esse prazer.

Havia agendado uma conversa sobre a ANF com Glicínia, do Casulo Feliz, que é uma empresa situada em um dos locais mais carentes de Maringá. Ela ficou interessada na idéia da ANF e eu no Casulo Feliz. Queria ajudar com a venda de camisas. Me mostrou toda a produção. O Casulo trabalha justamente com casulos não utilizados de seda, aqueles rejeitados pela grande indústria. Glicínia disse que “a especialidade deles são os rejeitados”. Entendi o que ela disse, pois todos os mais de cinqüenta funcionários são do Santa Felicidade, um dos locais mais pobres da cidade. Fizemos então uma parceria, para que eles fizessem camisas para a ANF, que sairão um pouco mais caras do que as camisas normais, mas ainda assim mais baratas que as roupas que eles vendem. E quem comprar, saberá que está apostando em duas idéias: ANF e Casulo Feliz.

Ainda no Rio de Janeiro, antes de sair para minha viagem pelo país, havia passado um e-mail para Silvio Barros, o prefeito de Maringá, em nome da ANF, perguntando-lhe o número de favelas da cidade. Em Maringá eles se orgulham por não terem favelas!(?) Minha pergunta foi repassada para a secretária de Assistência Social do município, que me respondeu dizendo que "em Maringá não existem favelas, o que existe são locais muito pobres". Tomei conhecimento que o prefeito assinou um acordo com o presidente Lula para receber do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) uma verba de vinte e cinco milhões para desfavelização de Maringá. Como se em Maringá não existem favelas? Fui até a secretária de Assistência Social que me recebeu e explicou como seriam utilizadas as verbas do governo federal. Segundo a secretária, as verbas são justamente para os locais mais carentes da cidade como: Santa Felicidade, Tarumã, Requião, entre outros. Durante a entrevista Sandra Franchini se emocionou ao contar do filho que foi assassinado há poucos meses por um outro jovem do Santa Felicidade, um dos locais para onde os olhares da prefeitura estão voltados.
Como já disse, aproveitei essa viajem para concluir muitos objetivos que estavam em minha agenda há tempos. Fui visitar a base da JOCUM na cidade. Wellington Oliveira é o diretor da base. Há anos não falava pessoalmente com ele, desde minha saída da instituição. Almoçamos juntos e fiquei sabendo das novidades que ele está empreendendo. Wellington acaba de lançar um livro de poesias com o titulo de "VEREDAS DO CARÁTER", que me presenteou com uma dedicatória: "Com amor e admiração por sua vida e ministério. Que Deus o abençoe!" Ainda não li o livro, mas tive o prazer de ouvir algumas poesias bem contundentes serem lidas pelo próprio autor.
Para finalizar minha visita à cidade, estive com figuras com as quais não posso deixar de estar sempre que venho aqui. Gisele Martins, artista e poeta, uma amiga-irmã de caminhada, para quem dei o livro “Caminho da Graça para todos”. Marciano Lopes, professor da UEM, que está lançando seu segundo livro no dia 3 de outubro. Diogo Bortoloto, meu amigo que é também signatário da ANF. Bruno Ladeia Marinho, que cito para não ter que citar todos os outros amigos da república. Jackeline Wismeck do meu curso de jornalismo, que está concorrendo no concurso de miss Maringá. Rafael Campoi que estará juntamente com sua namorada no Rio durante as férias para conhecerem nosso trabalho, assim como Marcelo (Bola) que também irá com sua noiva nas férias para o Rio de Janeiro.

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

VENDO NOTEBOOK!

SUPER OFERTA DE R$ 2000,00 (DOIS MIL REAIS)

PROCESSADOR: AMD TURION 64 2.0GHz ML-32
-MEMÓRIA: 1GB(1024)
-HD: 80GB
-Gravador de DVD E DE CD - DVDRW
TELA DE 15.4" WXGA CRYSTALBRIGHT (BRILHO REAL)
-RESOLUÇÃO DE 1280X800
-PLACA DE VIDEO
-Video ATI Radeon® Xpress 1100
- Resolução 1280 x 800
REDE
-Placa de rede 10/100
-WireLess 802.11 b/g
- Modem 56k V.92
INTERFACE
-3 portas USB 2.0 (até 480 Mbit/s)
-Entrada de microfone
-Saída para caixa de som
-Kensington lock
-1 VGA Port (Para monitores externos, projetores etc)
-PCMCIA

PARABÉNS PARA VOCÊ MINHA FILHA!

Não sei bem o que te escrever...acho que te entendo melhor no olhar. Desculpe pela distância, porém você sabe o que sinto! Tenha certeza que te amo, minha filha, com todo o meu ser e que tudo o que tenho feito é para que você e seus irmãos possam viver em um mundo melhor! Estou lhe enviando a camisa da ANF!

FELIZ ANIVERSÁRIO!

EU TE AMO MINHA FILHA!

domingo, 16 de setembro de 2007

A BOLA DA VEZ

O artigo que estou reproduzindo aqui é de autoria da jornalista Carla Rocha e saiu essa semana em O GLOBO. Conheço Carla por mais de uma década e sempre foi honesta e séria em todas as matérias que fez. Fiquei feliz e emocionado ao ler o texto abaixo pois sei o que é ser um lider comunitário nas favelas do Rio. Andar no "fio da navalha" é uma expressão que sempre utilizei para definir nossa posição. Precisamos ver essas lideranças que conhecem como ninguém a realidade dos morros e favelas serem reconhecidas e não criminalizadas como fazem as autoridades que deixaram a situação chegar nesse patamar!

A BOLA DA VEZ

CARLA ROCHA

Jorge era um sujeito que acreditava nas instituições. Expulso pela milícia de uma favela à beira da Avenida Brasil, ele foi ao batalhão da Polícia Militar mais próximo denunciar os PMs, muitos deles da própria unidade. À época, há cerca de dez meses, quatro dos cinco policiais acusados de terem tomado a favela do tráfico eram de lá, do 16º BPM (Olaria). Claro que levou com a porta na cara.

Mas insistiu. Apesar do medo que todos nós sentimos, que às vezes nos paralisa, ele não se calou e não fugiu às responsabilidades do cargo, já que era presidente da associação de moradores do local, de fato e de direito, diplomado pela Faferj. Jorge foi denunciar fatos gravíssimos à Corregedoria da PM, à Corregedoria Geral Unificada, à Ouvidoria, ao Ministério Público, à Secretaria de Segurança Pública, à Comissão de Direitos Humanos da Assembléia do Rio, só para citar algumas autarquias públicas que procurou. Em quase todas, prestou depoimentos formais, forneceu seu nome completo, Jorge da Silva Siqueira Neto, endereço, número de identidade, CPF. Jorge andava com essa papelada toda numa pasta de plástico que abria, sempre ao final da conversa, como que para comprovar tudo o que dizia.
Exilado e privado de exercer seus direitos políticos, Jorge sabia-se vítima da ditadura sem disfarces que impera no Rio de Janeiro, em áreas onde o Estado não chega. E, quando chega, é melhor nem comentar. Sem dinheiro, Jorge não tinha mais como sustentar os filhos (seis, ao todo) sem contar com a caridade alheia. Passou a freqüentar a fila de distribuição de cestas básicas, em igrejas do subúrbio. Ficou apenas com a roupa do corpo e o carro. Um depósito de gás e um trailer que tinha foram confiscados pelos PMs. Apesar disso, Jorge cumpria, religiosamente, um périplo diário para cobrar do Estado respostas para as denúncias que apresentara.
Apesar das ameaças, todas devidamente registradas, sem no entanto comover as autoridades, Jorge, por último, ainda fez questão de levar ao conhecimento da opinião pública sua história e aceitou ser notícia de jornal. Ele foi personagem da série "Os brasileiros que ainda vivem na ditadura", do GLOBO.
Na nossa primeira conversa, percebi logo que ele seria, como de fato foi, um dos principais casos que contaríamos naquelas reportagens todas feitas com histórias comoventes de uma gente muito corajosa. Além de destemido, Jorge falava fácil, apesar do pouco estudo. Tinha todas as informações na ponta da língua e sequer consultava um rascunho para dizer o nome todo, o número da identidade e até a placa dos carros dos PMs que lhe roubaram a dignidade, como costumava dizer. Em meia hora, ele apresentava um impressionante e minucioso calendário de crimes, de tortura a assassinatos, praticados pelos PMs-milicianos da Kelson's. Datas, horários, nomes das vítimas, número de inquéritos. Jorge parecia um repentista do apocalipse. Ele também testemunhou oficialmente sobre alguns desses crimes. A esta altura, os inquéritos devem estar em alguma gaveta empoeirada.
No dia 26 de agosto, a história de Jorge foi contada pelo jornal. No dia 30, quatro PMs denunciados por ele foram presos. No dia 3 deste mês, foram soltos. No dia 7, Jorge foi seqüestrado e está desaparecido até hoje. Na minha cabeça, ficaram as frases que ele repetia sempre ao final das nossas muitas conversas. "Eu tenho fé em Deus que tudo vai dar certo", e finalizava com: "minha amiga, me ajuda". Não éramos amigos, mas, talvez por ter me confiado tantas revelações, ele se sentisse grato, ao menos por ter sido ouvido.
Foi mal, Jorge, desta vez, não deu.
Jorge agora é, possivelmente, de acordo com o Estado, alguém que teria algum tipo de envolvimento com criminosos, talvez com o tráfico. Afinal, era líder comunitário de uma favela que, antes da entrada da milícia, estava nas mãos de uma facção criminosa. Não há inocentes no Rio. Não mais, muito menos presidentes de associaçãode moradores de favelas, que vivem no fio da navalha, isto até os mais crédulos sabem, quanto mais a polícia. Mas daí a ser traficante, só porque explorava um depósito de gás, atividade que costuma ser associada ao tráfico ou à milícia, parece uma simplificação até criminosa. Principalmente porque ele não está mais por aqui, a incomodar as autoridades. E considerá-lo suspeito só porque desconhecia medos comuns a moradores acuados por grupos armados é absurdo.
E mais. Se era suspeito, Jorge deveria ter sido preso. De fato, ele podia ter lá suas culpas, mas, se tivesse sido detido, hoje estaria vivo para se defender das acusações ou responder por seus supostos crimes.
Em vez de responsabilizar a vítima, o Estado deveria combater os criminosos. Se o crime não for esclarecido e os assassinos presos, será a nossa dignidade, a de todos nós, que terá sido roubada.
CARLA ROCHA é jornalista.

sábado, 15 de setembro de 2007

NOTA DE FALECIMENTO DE CAIO FÁBIO D'ARAÚJO

Acabei de entrar na internet aqui no Paraná e tomei conhecimento do e-mail abaixo enviado ontem por meu pastor Caio Fábio. Sem muitas palavras para esse momento. Estamos juntos mesmo longe...

NOTA DE FALECIMENTO DE CAIO FÁBIO D’ARAÚJO


PAPAI VOLTOU PARA CASA E VIVE ALEGRE JUNTO AO PAI


“Depois de morto ainda fala...” — Hebreus.


Depois de 40 dias na UTI do Hospital Santa Júlia, sendo tratado como um anjo e por anjos, tendo sobrevivido durante este período por total intervenção de milagres divinos e excelentes cuidados médicos e hospitalares, hoje, às 13 horas de Brasília [12 horas em Manaus] — partiu em paz como em paz viveu; e foi cercado de amor, conforme o muito amor com o qual ele a todos amou.

O corpo será velado a partir das 17 horas de hoje na Igreja Presbiteriana Central de Manaus [Rua Silva Ramos 493 esquina com Tarumã], na qual serviu como pastor por quase 25 anos, e como pastor emérito.

O sepultamento será amanhã às 16 horas no Cemitério São João Batista, na sepultura da família.

O culto de ações de graças pela vida linda de papai será amanhã às 14:00h na Igreja Presbiteriana Central: Rua Silva Ramos 493 esquina com Tarumã.

Nós da família agradecemos todo carinho e que a nós nos tem vindo de todos os modos e de todos os lugares.

Nosso agradecimento mais que especial ao doutor Marcel, que se entregou com o amor de um amigo; ao doutor Javier, que foi o cardiologista dele nos últimos anos; ao doutor Sarkis, dono do Hospital e que nos serviu com todo carinho e sem limites; e aos enfermeiros Hilton, Gerilson, Daniel, Miquéias, Batalha e outros, os quais se deram a ele com a força de quem amava.

Nossa família vive da fé; e, meu pai viveu mais ainda; de tal modo que nossa saudade já está plena de amor consolador.

Nele, em Quem a morte já não mata, mas apenas eleva,


Lacy,
Suely,
Ana Lúcia
Caio Fábio Filho,
e todos os netos e bisnetos de meu paizinho.

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

TERROR E ESPERANÇA NA PALESTINA

Acabei de ler o livro TERROR E ESPERANÇA NA PALESTINA de José Arbex Jr. (série História imediata da Caros Amigos), lançado pela editora Casa Amarela. No livro escrito em 2002, José Arbex relata os dias em que passou entre Israel e a Palestina, essa última tentando se estabelecer contra a vontade da quarta maior potência bélica do planeta. Resolvi então, para deixar-lhe com mais vontade de ler esse livro de pouco menos de cem páginas, colocar aqui dois trechos. Um poema escrito por Mahmud Darwish que dirigia o centro cultural Khalil Sakakini, no subúrbio de Ramallah. O local foi destruído e saqueado por soldados israelenses. E o último parágrafo do livro.
CARTÃO DE IDENTIDADE
(Mahmud Darwish)
Escreve!
Sou árabe.
(...) As minhas raízes foram criadas antes do inicio dos tempos,
antes do nascimento das eras,
antes dos pinheiros e das oliveiras.
Antes que tivesse nascido a erva.

(...) Escreve!
Sou árabe.
Roubaste os pomares dos meus antepassados
e a terra que eu cultivava com meus filhos;
não me deixaste nada, apenas estas rochas.
O governo vai tira-me as rochas, como me disseram?

Escreve, então no alto da primeira página:
a ninguém odeio, a ninguém roubo.
Mas, se tiver fome,
Devorarei a carne do usurpador.
Tome cuidado!
Cuidado com minha fome,
cuidado com a minha ira!


Último parágrafo do livro:

“O que está em jogo na Palestina, portanto, é muito mais do que uma “mera” questão de solidariedade internacional para com um povo que sofre injustamente. Estão em jogo os contornos da ordem mundial que vai vigorar ao longo do século 21. Involuntariamente, o heróico povo palestino foi conduzido à posição de vanguarda desse combate. Se dependesse apenas de sua tenacidade, de sua coragem, de sua resistência, de seu amor à vida e a terra, a batalha já estaria ganha. Mas eles enfrentam os piores, os mais poderosos inimigos. Eles dependem da resistência internacional, tanto quanto os povos do mundo dependem deles.
Os palestinos estão fazendo a sua parte. E nós? E você?

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Caminho da Graça

“Portanto, no Caminho da Graça, não carregamos ilusões...não estamos esperando ninguém virar anjo, ninguém levitar a 10 cm do chão, ninguém ser levado pela carruagem de fogo da santidade que já não consegue viver no mundo. Ao contrário, posso afirmar que meu esforço pessoal é na tentativa de não me chocar com mais nada, posto que não há nada que você tenha feito que, ao menos em potencial, não exista em mim também. Não lidamos com robôs, nem com super-crentes ufanistas, nem nos interessamos por comportamentos performáticos só para dar a sensação de que tudo está sob controle na comunidade “vigiada”.

Diante disso, fica aqui declarado: Está suspenso o meu direito de me escandalizar com o que quer que seja verdade sobre você. Prefiro caminhar com você a partir de suas lutas e temores do que fingirmos que não trazermos essas coisas embutidas no cerne de nossas tribulações e dramas de vida.

O Caminho, portanto, está aberto a todos: Somos ‘devedores’ a homens, mulheres, adolescentes e jovens de todas as tribos; prostitutas, homosexuais, bissexuais e transexuais; fiscais de tributos, empresários, estudantes, políticos e donas de casa, ateu, católicos, espíritas e esotéricos, ricos e pobres, intelectuais e broncos, casados, descasados, solteiros, amasiados, juntados, separados, divorciados, viúvos... E a todos quanto se encontram carecidos da Glória de Deus porque não conhecem em seus corações a conversão que o Evangelho realiza por meio da fé, através da Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo – único mediador entre Deus e os homens!”


( Caio Fábio em “Caminho da Graça para todos”)





Estive em brasília e um de meus objetivos era conversar com meu pastor, Caio Fábio. Sabia que ele não se encontrava lá, e por isso antes passei em Belo Horizonte, na expectativa que ele retornasse de Manaus, onde se encontra cuidando de seu pai que está sob cuidados médicos.

Cheguei em brasília e fui recepcionado por uma irmã-amiga que foi missionária da JOCUM, assim como eu, e que atualmente trabalha em uma das maiores distribuidoras de livros de brasília. Passei um e-mail para o pastor Caio, que mesmo cuidando de seu pai, passou um e-mail para o Chico, pastor que mora na casa do Caminho, para que o mesmo conseguisse um lugar para eu ficar. Como não obtive resposta do e-mail e não poderia ficar na casa da minha amiga-irmã, que já estava hospedando outras pessoas, fui para o Lago Norte, onde fica a casa do Caminho. Lá fui recepcionado pelo Chico, que mesmo sem saber quem eu era, me recebeu, pois falei em nome do pastor Caio. Chico e sua família são gente boa de Deus!


Fiquei hospedado nesse local maravilhoso que é a casa do Caminho, onde os Caminhantes se encontram em vários dias da semana, criando assim um laço fraternal. Hoje os do Caminho já estão se encontrando em centenas de lugares pelo mundo, entendendo a importância das palavras que o Mestre disse... “onde estiverem dois ou mais em meu nome, ali estarei!”

No domingo, a ausência do pastor Caio em brasília não foi problema, pois a internet conecta pessoas do mundo inteiro. Reunimo-nos no colégio La Salle. Centenas de pessoas estavam lá! Compartilhamos juntos de um momento de ceia, e depois ouvimos uma mensagem maravilhosa do pastor Caio, que estava ao vivo (via internet) em um telão.



A mensagem do pastor Caio veio de encontro ao que tenho vivido: “Não sei qual o destino, mas sei que estou No Caminho!” Não tem nada mais importante que isso. Pastor Caio contou, que por muitas vezes conversou com empresários que queriam ver projetos, e ele só tinha sonhos...e são os sonhos que nos levam pra frente, acreditando, pela FÉ em coisas invisíveis, que ninguém vê, mas que podemos comtemplar com os olhos da FÉ!




Quem quiser saber mais sobre o Caminho da Graça poderá entrar no site que tem agregado milhões de pessoas em todo o mundo: www.caiofabio.com




segunda-feira, 3 de setembro de 2007

GALERIA DE FRASES

"Não se pode responder ao terror com mais terror!"

(Hugo Rafael Chavez Frias)

"A maior ambição revolucionária é ver o povo liberto de sua alienação!"

(Che Guevara)

"A razão manda que a gente se acomode em casa, e o sonho é que leva a gente para a frente."

(Ariano Suassuna)

"Acredito no que estou fazendo e estou fazendo o que acredito. Não tem volta!"
(André Fernandes)

domingo, 2 de setembro de 2007

ANF EM BELO HORIZONTE!

Comecei minha peregrinação pelo país para divulgação da ANF por Belo Horizonte. Fui recepcionado por pessoas que já conhecem a ANF e que acreditam em nosso trabalho. Quero aqui deixar registrado meu agradecimento à FUMAÇA CORP na pessoa do Artenius Daniel, que me hospedou em um apartamento no centro de Belo Horizonte, além de fazer minha agenda. Viva a hospitalidade Mineira!


Visão do apartamento onde fiquei hospedado em Belo Horizonte.

Logo no primeiro dia que cheguei, já tinha um encontro marcado com Clarisse Libânio, da ONG FAVELA É ISSO AÍ. O objetivo de nosso encontro foi trocarmos contatos e experiências locais. O trabalho que eles realizam resultou na produção de um material fantástico: GUIA CULTURAL DAS VILAS E FAVELAS DE BELO HORIZONTE. No escritório dessa organização, podíamos ter uma visão de uma grande favela. Em nossa conversa, falei de minha percepção logo ao chegar na cidade, de que a pobreza está crescendo muito ali, o que fará em breve aumentar o numero de favelas que já conta, de acordo com a ONG, com mais de quinhentas mil pessoas morando nesses locais.

Primeiro boteco de Belo Horizonte.

Meu guia, Artenius Daniel, me levou também para conhecer os bares da cidade, já que Belo Horizonte é a cidade que tem o maior numero de botecos do mundo! Conheci no bairro de Santa Teresa, lugar da boemia, o primeiro boteco de BH, o bar do sr. Orlando, onde Milton Nascimento começou a cantar... Conheci também um bar chamado RODA VIVA, um local ímpar. Carol a dona é Mangueirense e colocou uma flâmula da escola na parede de um lado e posters do fotógrafo Sebastião Salgado de outro lado. Para quem gosta de uma partida de xadrez, a pedida é o tabuleiro que está faltando uma peça em cada lado, sendo as mesmas substituídas por um boneco do piloto Airton Senna e do cantor Elvis Presley. Ainda como peça de decoração, podem ser encontradas uma máquina de escrever antiga. Uma vitrola é utilizada para tocar os LPs que lotam uma grande prateleira e acima dessa prateleira está o santuário de Carol, com uma foto do Che Guevara, Nelson Gonçalves, Elvis e para completar uma espada de São Jorge para os que acreditam em mau olhado. Como não poderia deixar de ser, em Minas, a pedida é uma cachacinha acompanhada de uma mandioca. Ao pedirmos para a dona do bar um cardápio para levarmos de lembrança, ela nos esclarece que precisa mandar fazer mais, pois "os clientes levam como lembrança". Parece que nossa idéia não foi original.

Aniversário do Artenius no PECTOPAH.


Minha peregrinação por BH terminou com o aniversário de meu anfitrião em um local extremamente agradável chamado PECTOPAH, conversando com colegas jornalistas. A imagem não está muito boa...acho que preciso de outra máquina fotográfica!

PARTICIPE DE NOSSA COMUNIDADE ANF - MINAS GERAIS!

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

COMPRE UM NOTEBOOK E AINDA AJUDE A ANF - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DAS FAVELAS!

Caros amigos leitores, estou vendendo um notebook! O motivo é que estamos precisando de recursos para a ANF - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DAS FAVELAS. Acredito no que estou fazendo, portanto esse é um investimento que faço para a organização da ANF.



Notebook Acer Aspire 5100-3949 - Valor: R$ 2.800,00


Quem quiser dar mais para ajudar a ANF pode!



Contato para a compra do notebook: andrefernandes@anf.org.br

Quem não quiser comprar um notebook, mas quiser contribuir para a ANF - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DAS FAVELAS, poderá fazer através de nossa conta corrente. Por favor entrem em contato com Eliane Martins que é responsável por nossa área financeira no seguinte e-mail: financeiro@anf.org.br

ANF - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DAS FAVELAS

BANCO ITAÚ

AG. 0416

C/C 50865-3

terça-feira, 28 de agosto de 2007

DIA DE LUTA DO POVO CONTRA A VIOLÊNCIA

Amanhã completam quatorze anos que aconteceu a chacina de Vigário Geral, e parece que nada mudou. As chacinas continuam acontecendo, os políticos continuam se beneficiando delas e a população fica de braços cruzados, se sentindo imobilizada por um estado que não permite a inclusão social e o desenvolvimento da cidadania plena, onde os pressupostos são direitos e deveres. Os deveres todos sabem, mas e os direitos? Qual o direito que tem os milhões de brasileiros que estão espalhados pelas favelas de todo o país?
Estava em Belo Horizonte essa semana esperando um ônibus, quando um senhor que estava do meu lado me mostrou uma matéria que falava de vinte e cinco pessoas que morreram carbonizadas dentro de um presídio. Aí me disse: "ainda chamam os direitos humanos para esse pessoal, tem tudo que morrer mesmo". A pessoa que estava do meu lado ficou preocupada com minha reação, e deu graças a Deus pelo ônibus do senhor ter chegado, pois ia lhe dizer que, para que aquelas pessoas não precisassem roubar, precisaria de um estado eficiente, que não permitisse pessoas pelas ruas dormindo sem ter dignidade e milhões pelas favelas passando fome... pra que pena de morte se essas pessoas já sofrem pena de vida? Uma vida quase impossível de se viver, pois enquanto poucos tem muito, a grande maioria têm tão pouco ou nada!
Ainda sobre o dia de luta do povo contra a violência resta informar que um deputado com quem já trabalhei fez um projeto de resolução que instituiu esse dia no calendário da ALERJ. Fiquei surpreso ao voltar para o Rio no ano passado, e quando fui ao gabinete do mesmo, sua assessoria não sabia sequer da existência desse projeto. Depois falei com o deputado que me enviou o e-mail que coloco abaixo. Em conversa pelo telefone com o deputado perguntei se ele faria alguma coisa nesse dia, quando ele me deu a informação que iria procurar os deputados Marcelo Freixo (PSOL) e Alessandro Molon (PT), pois segundo ele "esses são os deputados mais combativos na linha de direitos humanos". Vamos ver...
Nesse momento estou viajando pelo país, divulgando e fazendo contatos para a ANF-AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DAS FAVELAS. Porém minha esperança é que os movimentos populares e de direitos humanos não permitam que caia no esquecimento a chacina que abalou o mundo e que acreditemos que estamos dando nossas vidas por acreditarmos que um mundo melhor é possível!
PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 58/2003

EMENTA: FICA INSTITUÍDO O DIA DE LUTA DO POVO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CONTRA AVIOLÊNCIA

Autor(es): Deputado ANDRÉ DO PV

A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESOLVE:

Art. 1º - Fica instituído no âmbito desta Casa de Leis, o Dia de Luta do Povo do Estado do Rio de Janeiro contra a violência.

Art. 2º - A data deverá ser celebrada anualmente no dia 29 de agosto.

Art. 3º - Esta resolução entrará em vigor na data de sua publicação.

Plenário Barbosa Lima Sobrinho, 12 de março de 2003

Deputado André do PV

JUSTIFICATIVA

Na noite de 29 de agosto de 1993 mais de 40 homens mascarados, armados com metralhadoras, escopetas, pistolas e granadas, invadiram a favela de Vigário Geral, zona norte da Cidade do Rio de Janeiro, provocando grande terror. Divididos em três grupos, foram responsáveis pelas horas mais dolorosas e terríveis para pessoas de bem, onde incendiaram trailers e motocicletas, cortaram fios telefônicos e destruíram orelhões. O saldo foi de 21 pessoas mortas, nenhuma com antecedente criminal. Entre elas, sete estavam em um bar e oito pertenciam a uma família evangélica. O que se pode perceber cotidianamente é que nas famílias de baixa renda as crianças não têm acesso a lazer de forma adequada, e seus pais vivem a constante preocupação em saber que seus filhos são humilhados, discriminados e agredidos de diversas maneiras. Apesar de completar no próximo 29 de agosto 10 anos da chacina de Vigário Geral, continuamos a registrar que todos os dias pessoas morrem nesta guerra sem fim, entre elas inúmeros inocentes. Diante do acima exposto, não podemos esquecer o que aconteceu nesta data, portanto, juntos lutemos para que essa violência deixe de existir, ficando assim aqui proposto o Dia 29 de Agosto como o DIA DE LUTA DO POVO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CONTRA A VIOLÊNCIA.

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

O DIA QUE RICARDO BOECHAT LEVOU UM FURO

Na quinta passada (23/08/2007) a coluna do Ricardo Boechat publicou a seguinte frase do dia: “Acabo de receber uma ameaça por e-mail. É a primeira vez que não chega por telefone." - André Fernandes.
Fiquei estarrecido ao ficar sabendo da nota. Soube através de um amigo, que entrou no MSN e me contou. O Jornalista, se é que posso chamar isso de jornalismo, me ligou na segunda. Perguntou se eu não tinha algo de interessante para ele, pois não teve capacidade de achar algo mais interessante para publicar que a foto de uma pessoa que recebeu uma ameaça. Que insensibilidade!
Nesse caso é preciso entender como funciona o jornalismo, pois o pressuposto para se escrever em uma coluna é o ineditismo, sendo assim me desculpe o Boechat que é um cara sério, mas ele levou um furo de meu blog, pois já havia publicado aqui sobre essa ameaça no sábado (18/08/2007).
Isso foi de uma falta de respeito e consideração, que parece estar se tornando normal entre pseudo-jornalistas. Como publicado em matéria da revista CAROS AMIGOS esse mês, é bom lembrar: JORNALISMO NÃO É PROFISSÃO, É VOCAÇÃO!
Ainda cabe esclarecer para os jornalistas que trabalham com o Boechat que nunca fui "jurado pelo tráfico" como foi afirmado na coluna. Saí do Rio por motivos pessoais e para estudar jornalismo. Se tivesse o trabalho de ler meu blog saberia um pouco mais sobre minha história e trabalho.
Cabe ressaltar também que o jornalista que conversou comigo, deve estar precisando muito mesmo desse EMPREGO, já que não pensou sequer no mal que poderia causar com essa nota.

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Não deu na GRANDE mídia...

Hoje a tarefa de escrever a coluna não deu na GRANDE mídia, ficou com nosso mais novo colaborador. Conheci Artenius Daniel na bienal da UNE. Jornalista aguerrido ele também acredita que UM MUNDO MELHOR É POSSÍVEL!


________________________________________________________________



Tropa de Choque de Serra invade Faculdade de Direito da USP


Uma ordem do governador de São Paulo José Serra botou fim, com truculência, a uma manifestação pacífica de estudantes e movimentos sociais na mais antiga faculdade do país, a Faculdade de Direito da USP no Largo São Francisco.

Cerca de 500 manifestantes chegaram por lá no início da noite de terça (21 de agosto), com barracas, faixas e muito discurso contra as políticas pouco inclusivas da instituição, conhecida como “berço das classes favorecidas paulistas”. A ocupação chegou a ter um show improvisado de Tom Zé, que declarou apoio ao movimento.

Apesar de ter sido colocado publicamente a posição do movimento, de permanecer simbolicamente no local por 24h, os cerca de 400 manifestantes que dormiam no pátio da Faculdade foram retirados "à força e de forma violenta", segundo relatou a diretora de comunicação da UNE União Nacional dos Estudanets), Luana Bonone, que estava na ocupação.

Segundo a assessoria de imprensa da PM, a reintegração partiu de uma determinação do governo do Estado. O comando de organização da ocupação já havia negociado com a direção da Faculdade, por meio do vice-diretor , professor Nestor Duarte.
Cerca de 30 estudantes que estavam dentro do Centro Acadêmico XI de Agosto foram encurralados pela tropa de Choque e resistiram à reintegração por cerca de 4 horas.
Os advogados do movimento e a imprensa foram proibidos de se aproximarem. Um cordão de isolamento mantinha-os a cerca de 40 metros de distância. Apenas por volta das 5h30 os próprios integrantes do Centro Acadêmico conseguiram negociar a saída pacífica, com garantia de que não seriam presos.
As lideranças da Jornada de Lutas convocaram um ato de repúdio ao ocorrido para às 15h, no Largo São Francisco. Haverá ainda passeatas em diversas capitais como atividade integrante da Jornada.
Nota pública
Uma coordenação de imprensa da ocupação divulgou nota repudiando a ação da policia e reafirmando o caráter pacífico da manifestação. Leia abaixo:
Os integrantes de movimentos populares que ocuparam a Faculdade de Direito da USP na tarde desta terça feira vêm a público esclarecer os acontecimentos deste ato:
1) Esta ocupação faz parte de uma série de atos realizados através de uma ampla unidade de movimentos sociais em torno de um programa em defesa da Educação Pública em todo o país. Ocupações como esta ocorreram em diversos estados e universidades, como na UFMG, UFRJ e UFBA.
2) Esta era uma ocupação pacífica e simbólica, prevista para terminar às 17 horas da quarta feira, 22 de agosto, conforme negociado com a direção da Faculdade através do Professor Nestor Duarte, vice-diretor.
3) Por volta das duas horas da manhã, momento em que a maioria dos ocupantes já estava dormindo, a tropa de choque invadiu a Faculdade de Direito e realizou a desocupação, numa manifestação de truculência como não se via na Universidade de São Paulo desde a Ditadura Militar.
4) Policiais armados encaminharam os participantes detidos na Faculdade para a 1ª DP. Enquanto no Centro Acadêmico XI de Agosto alguns estudantes se preparavam para retornar à faculdade, a Polícia, sem mandado de reintegração de posse dirigido ao espaço do C.A., forçou, sem sucesso, a saída dos ocupantes inclusive com ameaças de utilização de armas de fogo.
5) Neste momento, a imprensa encontra-se contida pelo cordão de isolamento da PM, assim como os advogados chamados pelo movimento para acompanhar o caso.
6) Nós, estudantes resistentes no XI de Agosto, declaramos repúdio à ação da tropa de choque e condicionamos a nossa saída ao não fichamento de todos os participantes do ato e o acompanhamento da imprensa na delegacia e na sede do XI de Agosto.

sábado, 18 de agosto de 2007

SEUS DIAS ESTÃO CONTADOS...

Meus dias estão contados por meu Deus, que criou o céu, a terra e tudo o que nela há...


Essa é a única resposta que posso dar, não só para qualquer pessoa que pense em fazer algo contra a minha vida e ideais, como para outros que no futuro pensem em deter nossa missão!


Um dia, quando era secretário executivo da CASA DA PAZ de Vigário Geral, recebi uma ameaça de morte pelo telefone. Dessa vez, dez anos depois, recebo outra ameaça, só que agora pela internet, através de um e-mail. No texto, a pessoa não identificada, dizia: "seus dias estão contados..."

Da última vez que me preocupei com minha segurança, apareceram amigos de todos os lugares para me dar "proteção". Tenho pessoas que gostam de mim em tantos lugares, pois nunca me esquivei de estar ajudando as pessoas por conta de limitações, quer fossem essas pessoas jornalistas, políticos, policiais, pastores, sociólogos, bancários, pedreiros, banqueiros, ou até mesmo os excluídos da sociedade. Entendo que o cristianismo é assim, não se priva de ajudar por que a pessoa foi condenada pela sociedade ou por uma classe. O cristianismo tem que estar acima disso, e foi assim que entendi a mensagem de Cristo.


Ainda falando sobre a proteção, em outro momento ouvi meu Pastor, Caio Fábio, me dizer o seguinte: "Anda distraído que nada vai te acontecer!" Foi quando recebi de um amigo de infância uma visita. Meu amigo, policial, me ofereceu "proteção". Ainda recebi um comunicado que dizia: "ninguém vai te tocar a mão". Ou seja, proteção de tantos lados e sentimento de insegurança...Nesse momento o que me fez sentir seguro é justamente o fato de saber que só Deus sabe minha hora! Só ele sabe quantos dias terei sobre a face da terra. Sendo assim, podem me ameaçar o quanto for, tentar o que for, porém, só Ele, o Justo Juiz, sabe quantos dias tenho.


Tendo sido dito tudo isso, peço que não percam tempo me ameaçando mais, pois não tenho tempo para perder! E mais: esse tipo de coisa só une mais nosso Time que sabe que está indo na direção certa. O que tiver que ser, será...pois No Caminho as coisas acontecem quando e como tem que acontecer...só Ele sabe!


"O acaso vai me proteger, enquanto eu andar distraído..."





terça-feira, 14 de agosto de 2007

Não deu na GRANDE mídia...

FILME TROPA DE ELITE TERÁ PREMIER NO ODEON


Depois de várias dificuldades durante as filmagens que envolveu até o roubo de armas da produção, o filme TROPA DE ELITE dirigido por Zé Padilha e Rodrigo Pimentel (diretores de ONIBUS 174) terá sua premier no cine ODEON no dia 04 de outubro. O filme seria na realidade um documentário que acabou se tornando uma ficção pela dificuldade de se mostrar as histórias, que pelo que tudo indica podem ser verídicas. Com um mega-orçamento de doze milhões, TROPA DE ELITE promete bater record de bilheteria e público.

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

QUAL SUA OPERADORA DE TELEFONE?

Vários motivos devem levar o cliente a escolha de uma operadora. A opção pode se dar desde o valor das tarifas e promoções, bem como a área de cobertura da companhia telefônica.

Desde sempre fui cliente da VIVO que tem uma excelente cobertura, mas também um dos maiores indices de processos de clientes insatisfeitos. Foi assim comigo! Precisei processar a operadora porque tinha uma linha de Maringá (Paraná), que mesmo com crédito, fiquei mais de um mês sem poder utilizar, sem que a operadora pudesse me explicar o porquê. Ganhei o referido processo, pois provei a importância de ter a linha e do prejuízo que me foi causado pela falta da mesma.

Depois que voltei para o Rio, há um ano atrás, resolvi mudar de operadora. Escolhi então a CLARO. A dificuldade que tive com minha operadora foi única: viajei a trabalho para uma cidade no interior do Espírito Santo, chamada Itarana, onde não só não havia sinal da operadora, como não era possível sequer comprar créditos para recarga, provando então que a operadora mente quando diz que está em todos os lugares do país.

Porém essa semana fiquei um pouco mais satisfeito com minha operadora, pois tomei conhecimento de promoções que realmente animam o consumidor que quer economizar, já que as tarifas para telefônia celular são um absurdo. Contratei então uma promoção através da qual falo para qualquer celular CLARO por apenas 0,06 centavos por minuto. Isso mesmo! Fica aqui meu incentivo para quem quer economizar é CLARO...

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

BANCO ITAÚ E O DESRESPEITO AOS CLIENTES

Segurança da esquerda dizendo para não fotografar e segurança da direita que havia permitido a entrada do cliente quando percebeu que estava sendo fotografado.

Há muito tempo que estou querendo me manifestar quanto a maneira como somos recebidos nos bancos. Claro que se você estiver de terno, for branco, e aparentar ser uma pessoa "do bem" ou "de bens", será bem recebido pelos seguranças que trabalham no banco. Porém se você for negro, e não aparentar ser uma pessoas de "bens", talvez se extresse.

O que afirmo não é uma constatação só minha, caso contrário não teria acontecido um assassinato de um homem negro, cliente do banco ITAÚ, no centro do Rio, cometido por um segurança também negro.

O sistema de segurança do banco trava a porta giratória quando se está portando metais, que podem ser moedas, chaves, ou qualquer outro metal, sendo destravada pelos seguranças.

Nunca tenho muita paciência já que tenho uma placa de metal no meu braço, o que já seria o suficiente para o acionamento da trava. Entretanto sempre me enquadro, me antecipando e colocando meus metais no local reservado.

Esta semana fui ao ITAÚ da rua Debret, no centro, fazer uma operação. Ao chegar como já sabia o que aconteceria, coloquei no local designado meu chaveiro, o celular e minha camêra fotográfica. O segurança perguntou se tinha alguma coisa dentro da mochila, e eu disse que não. Entrei!

Após minha entrada fiquei de olho no comportamento do segurança. O homem que estava entrando era um negro, e mesmo sem mochila, ficou um tempão para entrar. Para entender o tempo que ele ficou, observei o comportamento, tirei a camêra que já estava na mochila, liguei, o que demorou ainda quase um minuto, virei a camêra e fotografei! Foi quando um outro segurança, que está no canto esquerdo da primeira foto, disse que eu não poderia fotografar! Ai disse: sou cliente, chame o gerente!

Dirigi-me para o caixa automático e realizei minha operação de retirada. Fui para a saída e esperei o gerente. Disse-lhe que havia fotografado e que achava um desrespeito a maneira que os seguranças tratam os clientes do banco e que isso já tinha até causado uma morte! Ele tentou se esquivar e eu perguntei: onde é a saída? Desejei-lhe um bom dia e falei que como cliente ia me manifestar. Ao sair percebi que havia uma fila enorme. O motivo? O segurança para não deixar eu sair havia travado a porta!


O princípio da cidadania é o conhecimento de nossos direitos e deveres, por isso, sabendo como não quero ser tratado, bem como não quero que trate o meu próximo, decidi fazer esse relato.

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Não deu na GRANDE mídia...

OS MAIS COMBATIVOS DA ALERJ
Dia vinte e nove de agosto completará quatorze anos da chacina de Vigário Geral. Instituído como projeto de resolução pelo deputado André do PV, o DIA DE LUTA DO POVO CONTRA A VIOLÊNCIA, será lembrado. O deputado disse que chamará os deputados Alessandro Molon (PT) e Marcelo Freixo (PSOL) para realizarem um ato juntos. O motivo do nome dos dois? André justifica: "São os mais combativos na linha de direitos humanos".

terça-feira, 7 de agosto de 2007

DE VOLTA AO RIO!

Algumas pessoas de Maringá, onde morei, até hoje parece que não sabem que voltei para o Rio. Outras pessoas aqui do Rio, conhecidas mas não tão próximas, me perguntam isso também! E por isso resolvi escrever sobre.


Hoje está completando um ano que voltei para o Rio de Janeiro!


Resolvi sair do Rio porque havia acabado de ter a Kauanne, minha filha mais nova. Depois de mais de uma década dedicada ao trabalho nas favelas, decidi que precisava saber melhor o que é ser PAI. Infelizmente meus outros dois filhos não puderam ter essa mesma oportunidade, coisa que tenho procurado fazer mais e melhor agora (lembrem-se pais, nunca é tarde!).


Saí daqui com algumas parcerias importantes, sem as quais tudo seria muito mais dificíl. Entre elas posso citar a mãe de minha filha Kauanne, Caio Fábio, meu pastor, Kiki Moretti, minha mantenedora, e Talys Mota que ficou aqui no Rio sustentando a idéia da ANF.


Em Maringá minha intenção era ficar na JOCUM, porém posso dizer que não me readaptei ao modelo JOCUMEIRO de ser.
Mesmo estando no Paraná, vinha ao Rio periodicamente para tentar resolver problemas da ANF. Tínhamos uma dificuldade, pois o pessoal que havia se agregado em torno da idéia desconhecia completamente os trâmites para termos nosso CNPJ. Então juntamos uma diretoria com nomes que comporiam esse quadro até que pudessemos organizar melhor a instituição.
Em Maringá, para que pudesse ter continuado lá, algumas pessoas foram essenciais, entre as quais destaco Ariovaldo Ramos e Wilson de Matos. Após muitas dificuldades de se estar em uma terra que não é a sua, longe de parentes e amigos de toda uma vida, acabei me separando de minha esposa. Ainda separado, sem a esposa e filha que tinham ido embora de Maringá, permaneci ainda fazendo minha faculdade de jornalismo onde havia ganho uma bolsa integral para tal.
Conseguimos um contador para a ANF através do Marcos Salomão, um irmão que trabalhou comigo na VINDE, que disponibilizou seu contador para tomar conta dessa parte burocrática, pagando inclusive as custas cartoriais.
Percebi então que precisaria voltar para o Rio se quisesse ver a ANF funcionando. Foi nesse momento que pensei: "O que me prende agora em Maringá? Já que vim para cá por conta da família? Quanto a faculdade, termino em qualquer lugar!
Enviei então todas as coisas que eu e minha ex-esposa tínhamos adquirido (movéis e utensílios) e voltei para o Rio com meus livros, minhas roupas, meus documentos e papéis (não poucos) e muita disposição.
Ao chegar mesmo tendo toda minha família aqui, não quis incomodar, fiquei um tempo dividindo um apartamento bem em baixo da Mangueira, região conhecida pra mim. De agosto à dezembro fiz algumas coisas, entre elas posso dizer: centenas de contatos por conta da ANF, campanha eleitoral (coisa que dificilmente farei novamente) e mesmo sem poder... ajudei pessoas!
No fim do ano precisava recarregar as baterias: tinha que ver minhas filhas! Viajei para passar as festas com elas e voltei em janeiro para recomeçar a batalha. Chegando ao Rio fiquei hospedado por um tempo na casa de uma irmã do Caminho que me ajudou como poucas pessoas fariam.
Conheci então no início do ano Eliane Martins, que se tornou parceira em muitas coisas, tendo inclusive sido uma das pessoas responsáveis pela existência desse blog.
Conseguimos com vários apoios, colocar no dia 19 de julho, o novo site da ANF no ar ( http://www.anf.org.br/ ), bem como realizar o primeiro debate de lançamento do novo site. Entre esses apoios posso citar o sociólogo Caio Ferraz que participou do debate, bem como contribuiu financeiramente.
Agora que todos que não sabiam estão cientes que estou de volta ao Rio, coloco para você a seguinte pergunta: Que papel você terá na história? Como você será lembrado?
JUNTE-SE A NÓS!
André Fernandes
ANF - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DAS FAVELAS

sábado, 4 de agosto de 2007

CONVERSA NO SALÃO DE BELEZA

É com grande prazer que apresento nossa mais nova colaboradora. Já venho pedindo para ela me enviar um texto para nosso blog, porém sem tempo, dando aulas no IFCS e fazendo seu doutorado, estava quase impossível qualquer outra coisa. Conheci Isabela Campoi em um ônibus à caminho de Salvador. Estávamos indo para o "BRASIL OUTROS QUINHENTOS", e ficamos presos na estrada. Muitas histórias!
-----------------------------------------------------------------------------------------------
Conversa no salão de beleza.
Eu havia marcado horário no dia anterior: dez e meia da manhã. Já tinha acontecido uma vez antes: a manicure não foi. Trocando em miúdos, levei um “bolo”! De novo. Eu tenho uma coisa com as palavras. Se disse que ia fazer, eu faço. A não ser que circunstâncias especiais contribuam pra algum tipo de esquecimento. Promessas de bar, por exemplo (assim me justifico, André).
Decidi que esperaria a manicure por meia hora. As outras todas estavam ocupadas e acabei entrando num papo com a cliente da Evelyn. A Evelyn foi alvo de uma enquête que eu tinha feito semanas antes pelas ruas. A pergunta: “Você já viajou de avião?” E ela conhecia Cuba. Achei o máximo! Pelo trabalho no salão, ela abandonara a faculdade particular de Enfermagem. Não pôde mais pagar e teve que trabalhar. Eu sugeri que ela fizesse o pedido de equivalência de histórico escolar e tentasse entrar na UFRJ. Bem, mas isso foi outro dia. Hoje, com o segundo “bolo” da Lucilene, eu comecei a conversar com a cliente da Evelyn. Auditora do INSS de Vitória, ela estava em trabalho temporário no Rio. Falamos de greve. Ela é contra, acha que não resolve nada. Concordou comigo, quando eu disse que há uma espécie de cultura da greve no Brasil. Falei mal do funcionalismo público. Ela concordou, mas um pouco sem graça, afinal, ela é funcionária pública e disse que trabalha muito. Falou de mudanças que estão acontecendo e que darão mais eficiência ao trabalho da previdência social no Brasil. Os que estão resistindo, como nos hospitais federais, é porque serão cobrados e não querem perder as regalias, típicas do nosso funcionalismo. Eu já tinha concluído que um dos graves problemas no Brasil está ligado à gestão. Meramente: gerir, administrar, fazer funcionar, enfim. Depois partimos pra outra pauta: a vida privada. Mãe de gêmeas, o marido chegara ontem do Espírito Santo pra passar o fim de semana com ela num hotel da Lapa. Ela sentia mais saudade da sua cadela de estimação do que de qualquer outra coisa ou pessoa da sua casa em Vitória.
Foi quando, escondendo minha opinião a esse respeito, olhei as horas: faltavam cinco minutos pras onze e “minha” manicure não havia chegado ainda. Quando a mulher começou a relatar o tratamento de beleza que sua cachorrinha recebe semanalmente em um petshop, esmoreci pensando: “Já é hora de ir!”. Voltei pra casa chateada com a Lucilene e decidida a mudar de manicure. E a elegi. É certo que a Evelyn tem muito a me dizer sobre Cuba.

Isabela Campoi, professora substituta na área de História do Brasil na UFRJ, doutoranda em História Social na UFF( bolsista CAPES).

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Fidel Castro é o novo colunista de Caros Amigos

Leia na


de agosto!





Quem é Renan Calheiros?


O repórter João de Barros retraça a trajetória do senador Renan Calheiros, de menino pobre a envolvido em escândalo de corrupção.


Caros Amigos tem um novo colunista: Fidel Castro


De pouco tempo para cá, Fidel Castro passou a pôr no papel e na imprensa cubana oque chamou de Reflexões, abordando os mais variados temas. Vendo isso, resolvemos fazer uma consulta a Cuba: Caros Amigos seria autorizada a publicar um texto de Fidel mensalmente e considerá-lo seu colunista?


A resposta foi positiva. Estreamos com o texto intitulado "O Brasil Substituto dos Estados Unidos?" - onde o presidente fala sobre a "deserção" dos atletas cubanos no Pan do Rio. Bem-vindo a nossas páginas, escritor Fidel Castro!


Também em agosto:


José Arbex Jr. e Danilo Siqueira entrevistam o professor de filosofia Paulo Arantes. E João Pedro Stedile relembra o geógrafo e pensador Milton Santos.


E mais:


- O repórter Marcelo Salles conta o que viu no Complexo do Alemão: trabalhadores mais assustados com policiais do que com bandidos.


- Renato Pompeu discute a escravidão na China.


- Guilherme Scalzilli relata as reações ao cancelamento, pelo governo venezuelano,da licença de operação da RCTV.


- Georges Bourdoukan revela o que a mídia grande não deu sobre a invasão do Líbano.


Nas bancas a partir de 09/08.

segunda-feira, 30 de julho de 2007

MISTER CATRA CONVIDA!

Hoje Mr. Catra estará no Circo Voador no evento MISTER CATRA CONVIDA. Para quem tem dúvidas sobre como será o evento onde Catra estará com seu convidado Marcelo D2, leia a matéria que publiquei na ANF-AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DAS FAVELAS.



Circo Voador se torna local de encontro da Favela

Catra encontra com Caio Ferraz de Vigário Geral



Autor(es):André Fernandes


Quem foi que disse que segunda-feira é dia de ficar em casa? Mesmo com a chuva que começou a cair antes de começar o show, Mister Catra comandou a festa ontem (23/07), que segundo ele "é só o começo". Centenas de pessoas compareceram ao Circo Voador, que desde quinta-feira tem sido palco para dezenas de organizações, MC'S e DJ'S fazerem a festa da favela. De quinta a domingo aconteceu o II BIENAL FAVELA FESTA, que teve como mestre de cerimônia Jovem Cerebral. Ontem foi a vez de Mister Catra comandar o show com seus convidados. No palco junto com Catra cantaram os MC'S Sapão, Galo e Pé de Pano. Na platéia estavam centenas de pessoas que gostam do funk, e entre elas um convidado ilustre de Mister Catra, o sociólogo Caio Ferraz, fundador da Casa da Paz de Vigário Geral.
O evento de ontem foi o primeiro de uma série que estão por vir. Semana que vem estará com Catra nada mais, nada menos que Marcelo D2. Ainda mais adiante o empresário de Catra já citou o grupo REVELAÇÃO, que canta O SIMPÁTICO (letra do Catra).

O evento aconteceu tranquilamente, ocorrendo somente um fato isolado. MC Sapão que havia estacionado seu carro no lado do Circo, em frente a Fundição Progresso, teve seu veículo arrombado e o vidro foi quebrado:"acabei de tirar o carro da oficina" disse Sapão.

quinta-feira, 26 de julho de 2007

No Caminho

O Senhor é meu Pastor...
Confiança no Senhor é fundamental... Como ovelhas que não sabem quando o lobo vem ou quais os melhores caminhos, confiança é a palavra chave para estarmos seguindo O Mestre, O Caminho...
No Caminho as coisas acontecem quando e como tem que acontecer... Muitas vezes ficamos des-esperançados, desesperados, mas isso tem ocorrido por querermos que as coisas aconteçam da nossa maneira. A palavra que nos vem é: “ESPERE”... Mas como esperar no meio das dificuldades, dividas, falta de compreensão? E os começos? Os começos são sempre difíceis, principalmente se o que seguimos, não segue o “status quo”... Assim como Jesus foi duramente criticado pelos religiosos, seremos também...
A Igreja de Jesus está acima de instituições humanas. Sim, a Igreja de Jesus não cabe em prédios construídos por mãos humanas. Ela precisa estar em todos os lugares, aí ela é efetiva, pois não terá os limites de ser Igreja só nos fins de semana, ou nos cultos.Nossa vida tem que ser um culto, nossa oração tem que ser nossa vida e nossa vida uma oração. Assim não há diferença entre o sagrado e profano, pois tudo é santo para quem segue aquele que não viu diferença entre um e outro... A força da Igreja de Jesus está em Ela estar em todos os lugares, em cada encontro do corpo de Cristo em todo lugar...
Ninguém é melhor que ninguém, ou maior, assim ninguém julga, e todos seguem O Mestre Jesus...Todos se ajudam para que todos possam caminhar. Nada falta para ninguém, e as finanças fluem. O mais importante não é o que temos, mas quem somos... e as pessoas são mais importantes do que as coisas!
O amor vence tudo! Mesmo tendo sido vituperado e crucificado, O Mestre continuou amando, e por isso se deixou sacrificar por nós! E por essa Graça é que somos salvos, e esse amor tem que alcançar nosso próximo. Mesmo que estejam fazendo o que fizeram com O Mestre, caluniando ou tentando achar as suas falhas... Faça a escolha do AMOR, e isso não te deixará preocupado com as pessoas que ainda não conheceram a Graça que nos salva.
“Conhecereis A Verdade e Ela o Libertará...”
Nele,
André Fernandes

quarta-feira, 25 de julho de 2007

Não deu na GRANDE mídia...

MOVIMENTOS POPULARES E ORGANIZAÇÕES DE DIREITOS HUMANOS ESTÃO EM VIGÍLIA NA FAVELA DURANTE O PAN
Durante toda esta semana, enquanto o PAN acontece, movimentos populares e organizações de direitos humanos estão reunidos em uma vigília ininterrupta dentro do morro do Timbau, comunidade do complexo da Maré, ocupada pela polícia. O objetivo é denunciar a violência policial que aumentou por conta da maquiagem que as forças de segurança fizeram para o evento. A vigília se estenderá até domingo com atividades que estão reunindo pessoas de todas as favelas do Rio.

segunda-feira, 23 de julho de 2007

ANF UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA

Antes de tudo quero desculpar-me com os leitores pela ausência de uma semana devido ao lançamento do novo site da ANF.




Depois de dez anos que tivemos a idéia da ANF-AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DAS FAVELAS, hoje vemos esse sonho mais perto que nunca. Nossa organização não nasceu de uma idéia permeada de "notáveis" que com bastante recursos financeiros, tranformam essas ONG'S no "travesseiro da burguesia". Apesar de não termos o capital que poderia fazer com que nossas ações fossem muito mais eficazes, lembro-me bem de uma frase que meu avô sempre dizia: "As coisas conquistadas com dificuldade têm mais sabor na vitória!".
Se você deseja participar na construção da ANF, você poderá fazer da seguinte maneira:

- Divulgando, torcendo, e vestindo a camisa ( vestir a camisa é uma expressão que demonstra que a pessoa está envolvida).

- Se envolvendo diretamente como voluntário ou colaborador. Doando seu tempo para a organização.

- Sendo um de nossos mantenedores, pois até agora nossa intenção é ter o máximo de mantenedores que não nos deixem nas tradicionais "saias justas", já que publicaremos sempre os fatos que acontecem nas favelas, permitindo que essa população tão esquecida tenha voz!
Estamos com nosso site em caráter experimental, portanto qualquer sugestão é bem vinda!
Nossos próximos passos são:
-Transformar nosso site em uma ferramenta de fácil utilização para que se torne em um grande veículo de comunicação das favelas.
-Captar recursos ( sem os quais as coisas se tornam quase impossíveis!)
-Alugar um espaço fisico para a organização.
-Divulgar a ANF no máximo de favelas do Rio para que as mesmas possam ter na ANF um veículo de comunicação.
-Divulgar a ANF em todo o Brasil com o objetivo de termos filiais em todo o território nacional.



Camisas da ANF custam R$ 20,00 (vinte reais)!


Compre sua camisa, sabendo que parte desse dinheiro será reaplicado para fazermos mais camisas, outra parte irá para quem estiver vendendo a camisa(como maneira de manter nossos voluntários), e a outra parte irá para a organização.


Para fazer contato com a ANF utilize o seguinte e-mail: contato@anf.org.br

Se desejar participar de qualquer uma das três maneiras acima entre em contato conosco!

Faça sua doação:

ANF-AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DAS FAVELAS

BANCO ITAÚ

AG. 0416

CONTA CORRENTE 50865-3





Compartilhe!