sábado, 18 de outubro de 2008

ANDRÉ

ANDRÉ

Bem-aventurados os homens de boa fé
Os que nasceram tomando café
Tem como compatriota Pelé
Não se intimidam frente a bunda de uma mulher
Estão prontos pro que der e vier

E bem relacionados os que são assim
Porém poucos são feito querubim
Entretanto há um que conheço
Que merece meu profundo apreço
Por não ser um qualquer
Roga a Deus, mas não vive dando adeus
Sabe muito bem o que quer
Topa aqui, topa acolá
Não atura blá-blá-blá
Nunca andou nos Andes
Mas em seu nome tem Fernandes
Não escapa da luta como gás de refrigerante
Porque ao se chamar André
Labuta com garra e fé
Nesse Rio cheio de jacaré

Do mano Caio Ferraz
Favelólogo e Poetólogo

Um comentário:

Caio disse...

ANDRE,

AS VEZES ESCREVO O QUE VEJO E PENSO. VALEU PELA LEMBRANCA

CAIO FERRAZ

Compartilhe!