quarta-feira, 22 de julho de 2009

A ÚLTIMA CHAMADA PERDIDA

Uma das pessoas que mais aprendi a amar nesse mundo acaba de lançar um blog. Nos identificamos há alguns anos atrás depois que ela, curiosa como todo(a) jornalista, me descobriu, após ter lido o livro ABUSADO. Fui muito bem recepcionado por ela em São Paulo há alguns meses atrás. Nessa oportunidade ela estava na expectativa de conquistar o prêmio Abril de jornalismo, o que de fato veio a acontecer recentemente! Indico aqui o blog de minha amiga, a jornalista Ana Rita Martins - VERDADES E CHOCOLATE


O passado me assombrou ontem. Mais uma vez. Olhei para aquela chamada perdida e me perguntei o que aquela pessoa teria mais a dizer. De repente, refleti. E não compreendi porque eu ainda mantinha uma relação cordial, baseada em falar bobagem de vez em quando ao telefone e ouvir vômitos egóicos sobre a profissão. Me deu preguiça. Na verdade, o sentido de manter a diplomacia se esvaiu pelo fio do telefone. E não foi à toa. Comecei a pensar em qual é o valor da amizade se ela não passa por estender a mão quando uma pessoa precisa. Lembrei daqueles cinco meses de inferno, com a minha mãe no hospital, onde eu tentava me despedir dela e de uma parte de mim que seria enterrada na mesma cova. O fato é que eu esperava, no mínimo, uma preocupação genuína. E tudo que eu tive, naquele momento, foram perguntas banais a respeito das minhas companhias recentes.

Acho que estou ficando cada vez mais radical em relação ao meu tempo. Os segundos estão passando e não vejo mais significado em desperdiçá-los com médias, cordialidades falsas e afins. E, por isso, quando vi a ligação, decidi que seria a última vez que gastaria alguns minutos falando com aquela pessoa. A gente precisa saber cultivar o que nos reflete e nos engrandece de alguma forma nessa vida. Assim como precisamos podar aquilo que não faz mais diferença nenhuma. Dizem que jogar fora as coisas que não "usamos", abre espaço para novas energias na vida. Então eu resolvi tacar as coisas inúteis pela janela . Objetos, pessoas e ideias que não fazem mais sentido. Tu, tu, tu, tu...

2 comentários:

jupyhollanda disse...

oi andré,

adorei este post. me identifiquei a beça com seus 2 últimos parágrafos... tô precisando fazer isso tbm. Têm me perguntado pq eu ando sumida e eu digo: faxina! galera...faxina! - rsrsrsrsrrs

Saudade d'ôce, amigo.

B-Juju

Ana Rita Martins disse...

Ai, amigo, vc é um lindo... E eu tenho muito orgulho de você. Da sua trajetória, dos seus valores e, principalmente, do seu bom coração :)) Beijos

Compartilhe!