quarta-feira, 2 de junho de 2010

Sobre a prática da meditação

Grande maioria das pessoas em nossa sociedade procuram as mais diversas maneiras de manterem um equilíbrio. Ontem eu conversava com uma pessoa de minha grande estima sobre o assunto das loucuras do ser humano. Ela, que considero uma pessoa "equilibrada", falou-me: "eu sou desequilibrada". Interessante que, com todo desiquilibrio que diz ter, é uma das melhores profissionais em sua área, não toma tarja preta, não vai ao psiquiatra, psicanalista, analista ou coisa parecida. Em compensação, contou-me que por vezes só consegue dormir ás quatro da manhã... Eu mesmo confesso que tenho dificuldades para pensar na possibilidade de procurar algum tipo de "terapia". Disse para uma pessoa especial, que gosta de mim, que faz terapia e que me indicou para que eu também fizesse, que: "TER-AMIGOS é melhor que TERAPIA". Claro que falei brincando, porque não desqualifico nem o profissional da área, tampouco as pessoas que se encontram e se melhoram como ser humano, quando fazem terapias. Eu por exemplo acredito que a meditação é uma forma de encontrar-me...apesar de ter andado um pouco relapso com esse momento especial do dia que preciso ter para meditar, tenho aos poucos retomado essa prática que aprendi quando era missionário da JOCUM. Tenho tido experiências interessantes, como por exemplo, notar minha hiperatividade, ou seja, minha dificuldade de ficar um tempo a sós comigo mesmo! Sim! Na época que eu era "missionário", conseguia ficar uma hora direto, meditando. Hoje tenho ficado meia hora, pois a correria do dia-a-dia não tem me permitido tirar muito tempo para tal. Quero melhorar e voltar a ter essa hora diária para avaliar cada caminho e pedir à Deus Sabedoria para as tarefas, não poucas, da correria que tem sido a Vida! Preciso organizar melhor minha agenda...

2 comentários:

Flavio disse...

Todos deveriam ter um período do dia para se encontrar com o seu Eu interior. Esquecer todas as distrações e refletir sobre como estamos vivendo a nossa vida. A meditação é uma ótima forma para se encontrar consigo mesmo, mas como não moro sozinho, fica difícil achar uma hora de silêncio em casa. O tempo que tenho para focar meus pensamentos em mim mesmo é quando estou correndo, seja na esteira da academia, na Lagoa, no Maracanã... Durante meia hora eu me desligo do mundo e me encontro comigo mesmo. Meu corpo e meu espírito agradecem...

Um abraço!!

Caró disse...

Muita análise é sinal de síntese. Quando alguém lança: "eu sou obsessivo-compulsivo" por exemplo, sintetiza. Ninguém é uma coisa só, somos múltiplos, esquizos, esquisitos,especiais, espécies, existentes, ex-qualquer coisa que fomos há meia hora atrás. Ao todo, somos simples, mas isso não quer dizer reduzidos a uma coisa só. Nem a só somos uma coisa só. Nem tão pouco coisas. Coisas tem uma ou duas utilidades em geral. Nós somos baldes de utilidade e inutilidades na mesma forma. Mas de fato, o infinito mora é lá fora, e não entre um e outro ouvido, perdido na cabeça. Terapia ou teramigos realmente muda a gente, não se engana, mas a muda que eu acho mais bonita é a de planta. Molhe do jeito que quiser, com o rosto ou com o gosto, o fato é que sempre se cresce. Acresce. De novo.

Compartilhe!